Talitha Benjamin

Saiba qual é a importância da vacinação em todas as idades

A importância da vacinação

É consenso entre médicos e especialistas da área da saúde que a vacina é uma etapa essencial na prevenção de doenças e preservação da vida em todas as idades. No entanto, o processo de imunização no Brasil sofre grandes desafios: ao longo dos anos, o número de vacinas aplicadas no país diminuiu drasticamente, como aponta os dados do PNI (Programa Nacional de Imunização), mostrando que muitas pessoas ignoram a importância da vacinação.

O Brasil é referência mundial quando se trata de imunização. Só em 2017, foram destinados cerca de R$ 3 bilhões para essa iniciativa. O esforço do governo, porém, acaba esbarrando na resistência da população de tomar todas as doses necessárias para neutralizar doenças de risco.

Leia também: Cuidados paliativos: o que é e qual sua importância?

Essa resistência ocorre por diversos fatos, mas as principais causas são a desinformação e a disseminação de notícias falsas que associam vacinas ao risco de doenças, quando, na verdade, acontece o oposto: muitas delas foram praticamente erradicadas no Brasil graças à vacinação. Pessoas nascidas durante e depois da década de 1990, por exemplo, podem nunca ter tido contato com a poliomielite, sarampo, rubéola, tétano e coqueluche.

Como a vacina age no organismo?

Quando uma pessoa é infectada com uma substância estranha (como um vírus, por exemplo), o sistema imunológico cria anticorpos, que são proteínas que que defendem o organismo daquele invasor. Mas como o corpo ainda não conhece a substância desconhecida, a proteção não é feita com a rapidez necessária, e por isso, ficamos doentes, e o tratamento imediato contra aquela doença precisa ser realizado. Dependendo da doença, como o sarampo, por exemplo, existe o risco de morte.

No entanto, se algum tempo depois, o mesmo vírus entrar novamente no organismo, dessa vez o sistema imunológico consegue produzir os anticorpos com mais rapidez, impedindo que a pessoa fique doente novamente. Essa proteção é chamada de imunidade.

Leia também: Imunidade baixa: saiba quais são os sinais e como tratar

O que a vacina faz é injetar genes mortos e enfraquecidos do vírus juntamente com outras substâncias que ensinam e estimulam o sistema imunológico a produzir os anticorpos necessários para criar a imunidade. Dessa forma, o corpo estará protegido sem precisar ficar doente.

As substâncias presentes na vacina, ao contrário do que muita gente acredita, não são o suficiente para fazer a pessoa ficar doente ou sentir os sintomas da doença em questão.

Qual é a importância das vacinas?

Apesar da vacinação ter diminuído drasticamente a incidência de diversas doenças, isso não significa que ela não seja mais necessária. A imunização ainda é essencial, principalmente em crianças, que são muito mais frágeis.

Doenças que foram erradicadas no Brasil ainda fazem vítimas em outros lugares no mundo. A vacinação é importante porque também garante que você não contraia nenhum vírus ao viajar, ou que algum viajante traga o vírus de outro lugar para circular por aqui.

Quando uma pessoa se vacina, ela não protege apenas a si própria, e sim todos com quem convive e divide espaços. Quanto mais pessoas imunizadas, menos serão as chances de alguém contrair alguma patologia.

E isso vale para todas as idades: o Ministério da Saúde oferece um Calendário Nacional de Vacinação, que informa quais são as imunizações necessárias ao longo da vida. Todas elas podem ser obtidas gratuitamente pelo SUS (Sistema Único de Saúde) a qualquer momento.

As vacinas são realmente seguras?

A vacina previne contra diversas doenças, inclusive algumas que são graves e podem causar falecimento. Eventuais efeitos colaterais como febre ou dor no local da aplicação são raras e os benefícios da imunização são muito maiores e mais importantes do que esses efeitos temporários.

Leia também: Febre amarela: o que é, transmissão, sintomas e tratamento

Além disso, as vacinas são licenciadas para uso e possuem aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Elas passam por um longo processo de desenvolvimento, testagem por diversos institutos reguladores, que garante a total segurança e eficácia da substância. Além disso, mesmo depois de aprovada e distribuída ao pública, ela continua sendo monitorada.

Dessa forma, você pode ter a absoluta certeza da eficácia e segurança da vacina, e a total garantia de que você estará protegido contra as doenças. Fique em dia com o seu calendário de vacinação e atento à novas campanhas emergenciais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *