Entenda de onde veio o estilo Black Power

Black Power

A popularização dos cabelos crespos trouxe de volta um dos cortes mais emblemáticos para os fios com curvatura: o black power. Famoso na década de 1960 e 1970, esse estilo foi muito mais do que apenas um jeito de usar o crespo – foi um símbolo de resistência e cultura do povo negro.

O cabelo vai muito além de uma preferência estética e a forma como alguém escolhe tratar as madeixas diz muito sobre a personalidade de alguém. Para os negros, especificamente, o cabelo transcende o campo estético e entra em um aspecto político e identitário.

O surgimento do cabelo black power

Cabelo Black Power

Apesar de ter sido muito popular nos anos 70, o black power surgiu muito antes disso, durante a década de 1920. Nessa época, Marcus Garvey, precursor do ativismo negro na Jamaica e outros manifestos de ativistas antirracismo começaram a aparecer, sempre destacando a necessidade de se desprender de padrões de beleza eurocêntrico e, assim, promover um encontro entre as pessoas negras com suas raízes e culturas ancestrais africanas.

Décadas depois, na segunda metade dos anos 1960, os contínuos esforços do Movimento pelos Direitos Civis para acabar com o racismo legalizado causaram uma grande tensão racial nos Estados Unidos, com uma violenta repressão do Estado em resposta à protesto pacíficos. Nessa época, muitos aspectos da cultura negra foram revividos em forma de resistência e resposta à repressão.

As mulheres negras, que por muitos anos eram obrigadas à alisarem seus cabelos para se encaixarem no padrão social, passaram a abolir essa prática e deixarem os cabelos livres e naturais. Essa prática se popularizou também entre os homens e por toda a América Latina. Aqui no Brasil, o estilo de cabelo passou a ser chamado de black power, termo em inglês para poder negro.

O Black Power para além do cabelo

Black power feminino

O movimento Black Power passou a ser um slogan político que se referia a toda e qualquer ideologia que priorizava a aceitação e independência de todas as pessoas com ascendência africana (negros espalhados pelo mundo).

Atualmente, com discussões sobre raça e identidade negra mais presentes do que nunca, o cabelo Black Power ainda é sinônimo de aceitação e liberdade dos padrões eurocêntricos que ditavam que o cabelo liso era o único tipo de cabelo aceitável. Sendo o principal indicativo da descendência negra, quem assume seus cabelos crespos – independente da raça – carrega nos fios um grande símbolo de resistência e do amor à identidade negra.

Leia também

Cotas Raciais
Autoconhecimento

Cotas não são esmola, entenda

A lei de cotas existe há cerca de 8 anos no Brasil, mas ainda há muito debate acerca da sua importância e legitimidade. Grande parte

Leia mais »