Tayla Pinotti

Buchas de banho: tudo que você precisa saber antes de usar o acessório

Disponíveis em diversos formatos, cores e materiais, as buchas de banho deixaram de ser apenas um item de higiene pessoal e passaram a fazer parte do cuidado estético e do bem-estar de muitas pessoas.

Isso porque os diferentes modelos de esponja estimulam a renovação da pele, potencializam o efeito dos géis e sabonetes, permitem uma limpeza mais efetiva de algumas partes do corpo, como costas e pés, por exemplo, além de proporcionarem um banho agradável, é claro.

Se você usa esponjas de banho ou se pretende usá-las, confira abaixo tudo que você precisa saber antes de incluir esse acessório de higiene na sua rotina de cuidados com a pele.

Tipos de esponjas de banho

Bucha de banho

Em geral, as buchas são categorizadas em naturais ou sintéticas. Entre os principais materiais utilizados para a fabricação de buchas de banho naturais estão o fruto da planta Luffa cylindrica, que resulta na bucha vegetal, e as fibras obtidas a partir de uma proteína animal de colágeno chamada espongina, que dão origem às esponjas naturais marinhas.

Bucha para banho

Já entre as opções de materiais sintéticos estão o nylon, espumas e tecidos. Buchas feitas com nylon são mais comuns e ótimas para tratamentos cosméticos, já que ajudam a espalhar melhor os produtos. Também promovem esfoliação moderada e ajudam a remover da superfície da pele o excesso de células mortas.

As buchas de espuma, por outro lado, costumam agradar pela maciez e são indicadas para higienização das áreas mais delicadas do corpo, como o colo, pescoço e rosto. Também são muito utilizadas para banhos em crianças e bebês.

Outra opção é a esponja de tecido, que é a mais macia entre as sintéticas. Ela proporciona uma esfoliação leve e, por isso, é ideal para peles delicadas e também para a execução de tratamentos de beleza, como hidratação corporal, por exemplo.

Justamente por não serem feitas a partir de organismos da natureza, as buchas sintéticas são consideradas menos sustentáveis do que as orgânicas, mas o tempo de duração de ambas é praticamente o mesmo.

Cuidados necessários com a bucha vegetal ou sintética

Bucha vegetal

Por estarem constantemente expostas à umidade e ao calor, as esponjas de banho podem se tornar o abrigo perfeito para bactérias.

Muitos dermatologistas e especialistas da área da biologia, inclusive, não recomendam o uso do acessório de higiene, justamente porque ele pode se tornar anti-higiênico.

Isso porque as bactérias consomem qualquer matéria orgânica, inclusive as células mortas retiradas da pele com as buchas, que acabam ficando presas justamente na matriz fibrosa do acessório.

No entanto, é possível utilizar o acessório sem peso na consciência. Para isso, basta adotar algumas medidas de higiene. São elas:

Deixar a bucha secar fora do chuveiro

Para evitar a proliferação de bactérias, evite deixar a bucha de banho pendurada na torneira do chuveiro e coloque-a para secar em um área ventilada, de preferência com exposição ao sol.

Colocar a bucha no microondas

Sim, parece estranho, mas colocar a esponja para secar no microondas é uma boa alternativa para acelerar o processo de secagem. Mas não faça isso diariamente e nem se sua esponja for sintética – essa técnica funciona apenas para as de materiais naturais.

Trocar a bucha periodicamente

Por mais cuidadoso(a) que você seja com a sua esponja, é importante substituí-la regularmente. Quando mudar de cor ou ficar com cheiro desagradável, não hesite em trocá-la e fique, no máximo, apenas dois meses usando a mesma.

Mergulhar a bucha na água sanitária

Se você quer se certificar que as bactérias estarão mortas, mergulhe semanalmente sua bucha de banho em uma solução com 5% de água sanitária por cerca de 5 minutos. Depois, deixe secar completamente antes de usá-la de novo.

1 comentário neste post

  1. Darci disse:

    perfeito gostei muito das dicas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *