Mitos e verdades da cirurgia bariátrica

Cirurgia bariátrica

O número de pessoas que optam por realizar a cirurgia bariátrica aumenta a cada ano. Segundo dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Metabólica e Bariátrica (SBCBM), 424.682 pessoas realizaram o procedimento para reduzir o estômago nos últimos 8 anos.

A cirurgia bariátrica, também conhecida como redução de estômago ou cirurgia da obesidade, reúne procedimentos para controle da obesidade e emagrecimento. Entre as técnicas de cirurgia estão as restritivas, que restringem a quantidade de alimentos recebidos pelo estômago e induzem a sensação de saciedade; e as disabsortivas, que alteram o tamanho do estômago ou o trânsito intestinal.

Apesar de se tornar mais popular com o passar do tempo, muitas dúvidas ainda cercam o procedimento: ela garante o emagrecimento? Qualquer pessoa pode fazer? Quais são os riscos? Conversamos com a Dra. Ana Júlia Garcia Pereira, endocrinologista da Endoclínica São Paulo para desmistificar esse procedimento tão procurado.

Qualquer pessoa que estiver acima do peso pode fazer a cirurgia bariátrica

MITO. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a bariátrica só pode ser feita nos seguintes casos:

– Pessoas que apresentem o Índice de Massa Corporal (IMC) acima de 40;

– Pessoas que apresentem o Índice de Massa Corporal (IMC) acima de 35, cujo excesso de peso esteja associado à outros problemas como hipertensão arterial e diabetes mellitus de difícil controle, apneia do sono e doença articular degenerativa;

– Pessoas cujo tratamento conservador (mudança de hábitos, realização de dieta, atividade física, farmacoterapia e atenção psicológica) tenha falhado por pelo menos dois anos.

Dra. Ana ainda afirma que “pessoas que não terão como fazer o acompanhamento dietéticos pós-cirurgia, bem como pacientes com doenças psiquiátricas, cardíacas de alto-risco ou do trato digestivo superior, alcoólatras e usuárias de drogas, gestantes, crianças e adolescentes também fazem parte do grupo que não podem ser operadas”.

O paciente emagrece pois a cirurgia o faz comer menos

VERDADE. A cirurgia bariátrica altera o tamanho do estômago e, logo, diminui a capacidade de ingestão de alimentos do mesmo, tendo como efeito colateral o emagrecimento. No caso do procedimento disabsortivo, há ainda a alteração do trânsito intestinal, que também reduz a absorção dos alimentos. A médica endocrinologista afirma que nesse último caso, a perda de peso ainda é maior, mas a cirurgia não se resume à apenas isso: “O paciente deve ter cuidado redobrado no pós operatório para evitar deficiências nutricionais, a dieta no pós operatório é bem específica e importante para o sucesso cirúrgico”, aconselha.

A cirurgia bariátrica é feita apenas pelo médico endocrinologista

MITO. Segundo Dra. Ana, apesar de ser especialidade do endócrino, a bariátrica envolve uma equipe multidisciplinar: “além dele, o paciente deverá passar em outros especialistas, como cardiologista e um pneumologista para avaliar a função cardiovascular e respiratória, além de acompanhar a situação clínica geral’, explica a médica. Outro profissional extremamente importante no acompanhamento é o nutricionista, classificado pela Dra. Ana como “um elo importantíssimo no pré e pós-cirúrgico da bariátrica”. A avaliação psicológica e psiquiátrica também são importantíssimas nesse processo, já que o peso é um fator que influencia muito no psicológico do paciente.

A cirurgia bariátrica é um procedimento muito simples e sem riscos

PARCIALMENTE VERDADE. Dra. Ana brinca que a bariátrica é como um casamento: “a preparação é importante e envolve uma equipe multidisciplinar (endocrinologista, cardiologista, médico clínico, nutricionista, psicólogo e psiquiatra). “Para o sucesso terapêutico, é indispensável que o paciente tenha a intenção de mudar seus hábitos de vida por completo e que permaneça sob o acompanhamento multidisciplinar”, afirma. Sobre a cirurgia em si, a Dra. afirma que ela apresenta os mesmos riscos de qualquer outro procedimento cirúrgico de grande porte, e que todo o cuidado necessário será responsabilidade da equipe médica: “o tempo de internação costuma durar dois ou três dias e atividades rotineiras podem ser retomadas em torno de 10 dias após o procedimento. Exercícios mais intensos podem ser reiniciados após reavaliação do cirurgião”.

O pós operatório é fundamental para um resultado eficiente

VERDADE. Seguir a dieta pós-operatória rigorosamente é essencial para o sucesso do procedimento: na primeira semana, o paciente precisa seguir uma dieta líquida, e ir introduzindo comidas mais sólidas ao longo das semanas. Além disso, apenas a cirurgia não garante o emagrecimento: “para o sucesso da cirurgia bariátrica, é indispensável que o paciente tenha a intenção de mudar seus hábitos de vida por completo e que permaneça sob o acompanhamento multidisciplinar”, aconselha a médica endocrinologista.

Agora que você conhece os mitos e verdades sobre a cirurgia bariátrica, aproveite para conferir também a história da Fernanda, que optou pela redução de estômago para conseguir engravidar:

Leia também