Tayla Pinotti

Como fazer um currículo: passo a passo

como fazer um curriculo

Apesar de outros formatos de apresentação profissional estarem ganhando cada vez mais espaço no mercado de trabalho, o tradicional curriculum vitae ainda é o mais requisitado pelos recrutadores.

Isso porque o currículo funciona como um resumo profissional, no qual é possível ter uma noção básica de qual foi a trajetória daquela pessoa que está se apresentando.

Mas, por mais popular e necessário que seja ter um currículo nos dias atuais, muitas pessoas não sabem como fazer um currículo.

Realmente, montar o primeiro “CV” pode ser uma tarefa complicada e, diante disso, quem está a procura de um emprego acaba recorrendo aos modelos prontos da internet.

Para te ajudar a montar um currículo personalizado e completo, nós separamos algumas dicas e também um passo a passo para você montar o seu CV e se destacar no mercado de trabalho.

 

Como fazer um bom currículo? Dicas preciosas

– Não invente informações

Colocar cursos que você não fez ou mentir sobre a faculdade que você estudou são atitudes nada recomendadas na hora de montar um currículo. O que você pode fazer é “valorizar o seu passe”, por exemplo: você não fez nenhum curso de inglês, mas sabe o básico dessa língua? Então pode colocar nas habilidades que possui inglês básico.

– Cuidado com o português

Usar a gramática corretamente conta muitos pontos para um recrutador. Por isso, além de fazer o seu currículo, revise-o quantas vezes forem necessárias. Veja se você não cometeu nenhum erro de português e aproveite o revisor do Word para substituir palavras que foram escritas da maneira errada.

– Não exagere nas informações

Você não precisa detalhar todas as informações timtim por timtim. Basta organizá-las de forma que elas fiquem claras e fáceis de serem encontradas (colocando os títulos em negrito, por exemplo).

– Tente não ultrapassar duas páginas

Por mais vasta que seja a sua experiência profissional, é muito importante que você consiga priorizar o que foi mais importante e também o que é mais recente nessa sua trajetória. Não fique preocupado em colocar todas as informações que você possui.

– Não é necessário incluir suas características pessoais

Muitas pessoas criam uma aba “perfil profissional” no CV e acabam descrevendo suas características pessoais, como, por exemplo “bom relacionamento interpessoal”, “proativo”, “comunicativo”, etc. Isso não é um erro grave, mas é algo desnecessário, pois essas habilidades pessoais e comportamentais devem ser mostradas durante uma entrevista presencial.

Como fazer currículo: Passo a passo

1º passo: Coloque seus dados pessoais

A primeira informação do CV deve ser o seu nome. Em letras menores, coloque sua profissão, idade, estado civil, telefone, e-mail e endereço residencial.

2º passo: Escolaridade

Nesta etapa, você deve colocar qual é o seu grau de escolaridade. Se você possui primeiro ou segundo grau completo, mas não ingressou em um curso superior, coloque o grau de escolaridade (exemplo: Segundo grau completo) e o nome da instituição de ensino.

Mas, se você possui alguma graduação, não há a necessidade de incluir o nome da escola onde estudou. Basta incluir o nome do curso e da faculdade, além dos anos de início e de fim (ou o ano da previsão de conclusão do curso).

Pós-graduações, mestrados e outras especializações também devem ser acrescentadas dentro desse título.

3º passo: Outros Cursos

Se você já fez algum curso na sua área de atuação, ou se estudou em uma escola de informática ou inglês, você pode colocar os nomes dos cursos e, abaixo, os nomes das escolas onde os realizou. Cursos feitos com professores particulares também podem, e devem ser colocados.

4º passo: Experiência profissional

Essa é a parte mais importante do seu CV. Coloque suas experiências profissionais da mais recente para a mais antiga. Quais informações devem conter: nome da empresa, período que você permaneceu nela, seu cargo de atuação e um resumo das atividades que executou em cada uma delas.  

Se você ainda não possui nenhuma experiência profissional, pode citar trabalhos temporários (como bicos), em uma empresa familiar, projetos de iniciação científica, trabalhos da faculdade, por exemplo. Mas substitua o título “experiência profissional” por “vivências na área de atuação”.

5º passo: Conhecimentos complementares, trabalhos voluntários, premiações

Não fez um curso de photoshop, mas sabe o básico? Tem conhecimento em outras ferramentas do Adobe? Fez algum trabalho voluntário? Ganhou algum prêmio na sua área de atuação? Participou de eventos acadêmicos, palestras ou workshops?

Informações adicionais como estas devem ser incluídas mais para o final do CV.

6º passo: Formatação

Escolha uma fonte para o seu CV, dê preferência para as mais clássicas (como Arial, Times New Roman ou Calibri, por exemplo). Fuja das fontes muito infantis, como Comic Sans. Deixe os títulos em tamanhos maiores e em negrito e destaque também os subtítulos.

7º passo: Salve o CV em PDF

Os currículos em Word já estão um pouco ultrapassados e a maioria das empresas tem preferido o formato PDF. Por isso, a dica é: faça o seu currículo no Word e o salve em duas versões: uma no Word (que você poderá editar quando necessário) e outra em PDF para enviar para os recrutadores.

Outros dados como foto, RG, CPF e pretensão salarial não precisam, necessariamente, estar inclusas no seu CV. A dica é ter um arquivo que você consiga editar sempre em mãos, caso a empresa solicite essas outras informações.

Além disso, o ideal é “adaptar” o seu currículo para cada vaga que você se candidata, valorizando as informações que você acredita que tenham mais relevância. Seja criativo para fazer um currículo personalizado com a sua cara.

Saiba também como se vestir adequadamente para uma entrevista de emprego aqui!  

Avalie esse conteúdo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *