Corte repicado: Tira ou concede volume?

Por: Raquel Fialho

Corte repicado

Existem modelos de cortes diferentes para cada tipo de gosto, personalidade e tipo de cabelo. Eles são tão versáteis que cada um deles proporciona um tipo de efeito diferente. Por isso, antes de adotar um novo visual, confira cada uma das suas características e suas vantagens, assim, você consegue garantir o melhor resultado, e o que mais deseja, sem cometer nenhum arrependimento.

O corte repicado, por exemplo, é um modelo superinovador, ele está entre os tipos de cortes preferidos das mulheres, afinal, ele nunca saí da tendência e ainda fica ótimo para todas as texturas, seja ela lisa, ondulada ou cacheada. Mas, a grande dúvida de quem deseja aderir a esse visual é o seu resultado, ele tira ou concede volume?

Para quem deseja retirar ou diminuir ou dar volume, o corte repicado, seja ele degradê ou em camadas, é ideal. Tudo irá depender de como ele é cortado e finalizado.

Para quem deseja fios sem volume, é mais indicado que o profissional faça o corte repicado em linha vertical. Já para quem quer um volumão poderoso, o corte em linha diagonal é o mais indicado para o volume quebrar e não ficar concentrado.

O corte repicado é muito versátil e combina para todos os tipos de gostos. Além disso, ele é ideal para quebrar a formalidade, proporcionando fios mais despojados e com estilo, ganhando irregularidade ao corte, o que faz dar todo o toque final.

Corte repicado x corte desfiado

Uma das maiores dificuldades de quem deseja aderir ao visual é entender qual a diferença do corte repicado entre o corte desfiado. Conheça aqui todas as dicas para não correr o risco de pedir o corte errado, hein!

O corte repicado deixam os fios mais aparentes e marcados e, normalmente, são feitos com a tesoura. Já o corte modelo desfiado deixam as pontas desconectadas “para fora”, pois é comum ser cortado com a navalha para dar o resultado final.

Corte repicado para cabelos cacheados

O corte repicado é ideal para quem quer dar mais leveza e movimento nas madeixas e o melhor: sem tirar o comprimento dos fios, por isso, é o modelo perfeito para as cacheadas e crespas que se sentem inseguras na hora de cortar as madeixas, principalmente por ser uma textura que sofre com o fator encolhimento.

Como o corte deve ser limitado e “certinho”, a melhor opção para cortar o cabelo é a seco, assim, você não corre o risco de cortar a mais, e ainda, mantêm o tão maravilhoso comprimento.

Cabelo médio repicado com long bob

Imagina unir duas técnicas queridinhas: o corte long bob, que é superversátil, moderno e o queridinho da temporada, junto com o repicado para deixar os fios mais leves e com menos volume! Pode apostar que é sucesso na certa. Você ainda pode adotar a uma franjinha mais descolada e poderosa ao visual.

Corte repicado com mechas

Que as mechas são tendência, isso provavelmente você já sabe, mas o que talvez você não saiba é que ela é a dupla perfeita quando unida ao corte repicado, e você sabe por quê? As mechas valorizam os fios, portanto, quando aderidas, elas iluminam o visual e marcam com mais intensidade os fios com cortes repicados. Outra opção para quem deseja evidenciar ainda mais o resultado é apostar na finalização usando o modelador de cachos para definir e dar forma as mechas.

Corte repicado: manutenção

O corte repicado não necessita de uma manutenção frequente como, por exemplo, a cada 20 ou 30 dias. Por isso, é uma ótima opção para quem não tem tempo de estar sempre no salão. Afinal, os fios vão crescendo e eles não perdem tanto sua forma. Mas, nada de esquecer dos cuidados, como os fios ficam mais evidentes, a etapa de cuidados não pode faltar! Portanto, invista sempre em uma boa hidratação e, se necessário, faça todas as etapas do cronograma capilar: hidratação, nutrição e reconstrução para garantir fios saudáveis, longe do frizz, do ressecamento e pontas duplas.

Para adotar um estilo despojado e poderoso, o melhor é procurar um profissional que possa realizar essa mudança de maneira excelente! Então, nada de abrir mão disso, hein?! Se você não tem prática, nada de correr o risco!

Leia também