Talitha Benjamin

5 atitudes para não viver uma dependência emocional

dependência emocional

Em qualquer relacionamento – seja romântico, familiar ou amizade – os momentos compartilhados são especiais. Uma rotina criada ao lado de quem você ama pode ser algo maravilhoso. Mas o que acontece quando esse afeto e vontade de estar com um certo alguém se transforma em uma necessidade? E quando essa necessidade se torna uma dependência emocional?

A dependência emocional é o apego excessivo a uma pessoa em particular e pode acontecer em qualquer tipo de relação. Essa necessidade acontece quando alguém cai em um estado onde depende da presença, afeto ou companhia de outra para ser feliz ou se sentir bem em geral.

O que pode causar uma dependência emocional

Gostar muito da companhia e presença de alguém ou até mesmo acostumar-se com ela fazendo parte da sua rotina não chega a ser uma dependência. O problema está em sentir que, sem essa presença e companhia, não há como ser feliz. Esse sentimento está diretamente ligado a um estado de autoestima baixa. Quando você não ama a si mesma e não aprecia a própria companhia, é comum que apenas o amor e afeto de outra pessoa te façam bem.

Estar em uma dependência emocional pode ser perigoso, pois a relação construída sob essa ótica se torna uma prisão. Isso porque a dependência raramente é vista dessa forma, já que é facilmente confundida com um amor intenso e verdadeiro por alguém. Não vivemos em uma sociedade que incentiva a liberdade individual e, por essa razão, sentimos que ter um parceiro é fundamental para ser feliz. No entanto, a dependência emocional tem o potencial de restringir a liberdade e bem-estar de todas os envolvidos, podendo até mesmo acabar com a relação.

Por causa da dependência, uma pessoa pode permanecer em um relacionamento ruim e até mesmo abusivo, pois acredita que é a melhor ou até mesmo única forma de ser feliz, mesmo que ela não esteja.

Todos nós precisamos – e gostamos! – de nos sentir amados. A necessidade de atenção, amor, afeto e carinho são humanas e comuns, e devem ser alimentadas. O problema está em achar que esses aspectos se sobressaem à outros mais importantes, como a liberdade individual, o amor próprio e o autocuidado.

Atitudes para evitar uma dependência emocional

Tome consciência. Descobrir exatamente onde está o problema é o primeiro passo para resolvê-lo. Analisar o estado da sua relação é essencial, mas também é necessário avaliar o que acontece fora dela. Você tem uma vida social e individual ativa fora da sua relação? Você tem outras pessoas de confiança que não sejam de quem você se sente dependente? Essas questões te ajudarão a entender se o que você sente é realmente um amor verdadeiro ou uma dependência emocional.

Procure ajuda (se possível, profissional). Um olhar de fora pode te ajudar muito, pois ele pode te dar uma perspectiva diferente da sua própria. Um dos efeitos de se depender emocionalmente de alguém é ter a sua visão da relação e da pessoa em si comprometida por emoções e sentimentos que podem alterar a sua percepção da realidade. Um amigo próximo pode te ajudar a reavaliar a situação e enxergá-la por outro ângulo. Procurar um psicólogo também pode te ajudar.

Recupere sua autoestima. Reconheça seu próprio valor, qualidades, e alimente uma nova imagem sobre você mesma. Experimente mais tempo sozinha: redescubra seus gostos, desejos, sonhos e o que não gosta também. Tudo isso ajuda a mudar a percepção sobre as suas necessidades. Como dissemos lá em cima, a dependência emocional nasce de um estado de baixa autoestima, onde só se considera possível ser digno de amor quando outra pessoa está inserida na equação. Praticar o autoamor, o autocuidado e a autoconfiança vão fazer com que você perceba o quanto merece ser amada e respeitada mesmo não estando em um relacionamento.

Reavalie o que é o amor. O amor verdadeiro é o amor que respeita as diferenças, as liberdades individuais e, acima de tudo, é aquele que você sente por si mesma. Apaixone-se por você e pela vida – fazendo isso, fica muito mais fácil ter uma relação saudável e plena, sem cobranças desnecessárias e insatisfações emocionais.

Sair de uma dependência emocional requer muito trabalho e desconstruções. É um trabalho árduo, mas que mudará todas as suas relações e percepção sobre a vida, o que torna todo o esforço muito necessário. Ter alguém com quem compartilhar a vida é uma experiência maravilhosa, mas uma relação plena, saudável e feliz respeita as liberdades individuais e requer, principalmente, amor próprio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *