Thauany Lima

Dieta vegetariana: como cuidar da saúde sem explorar a proteína animal

Dieta vegetariana

Estamos em uma era onde as pessoas estão se preocupando cada vez mais com a saúde e bem estar, afinal, a internet vem possibilitando um grande contato com informações que antes não se tinha acesso.
A dieta vegetariana e a aceitação da forma de vida sem crueldade animal tem ganhado cada vez mais adeptos. De acordo com pesquisas realizadas pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), cerca de 29,2 milhões de pessoas se consideram vegetarianas no Brasil.
Aderir a essa forma de vida traz benefícios enormes para a saúde, porém, é preciso conhecer perfeitamente as necessidades do corpo para não deixá-lo escasso de nutrientes e proteínas, uma vez que retirar o animal da alimentação é excelente, mas são necessárias substituições.
O primeiro passo para abraçar o vegetarianismo é procurar um especialista que mostre os caminhos certos a seguir. Além disso, é preciso realizar exames laboratoriais para nortear-se sobre as carências do corpo.
Separamos dicas sobre dieta vegetariana indicadas por especialistas para ajudá-los a adaptar os alimentos livres de proteínas animais das refeições. Veja!

Como montar um prato para dieta vegetariana?

Uma alimentação completa e sem escassez de nutrientes, vitaminas e proteínas consiste em três passos:

  1. Leguminosas;
  2. Cereais, tubérculos e raízes;
  3. Legumes, verduras (de preferência verde-escuro).

Dieta vegetariana

As leguminosas são do grupo alimentar que enriquecem o corpo de proteína vegetal e composição de carboidratos complexos. Outros componentes presentes nas leguminosas são: fibras, vitaminas do complexo B, minerais com potássio, fósforo, magnésio, zinco, ferro, cálcio e pouca quantidade de colesterol e sódio.
Já os tipos de cereais mais populares para se adquirir é o feijão (carioca, preto, branco, fradinho, etc.), lentilha, ervilhas, grão de bico, soja, e derivados (tofu, tempeh).

Dieta vegetariana

Os cereais são fundamentais para uma alimentação equilibrada, afinal, é fonte de fibras, nutrientes, minerais (zinco, fósforo, magnésio), vitaminas e energias.
Eles são constituídos por arroz (polido, integral, selvagem, vermelho, cateto), milho, trigo, centeio, cevada, cevadinha, aveia e painço.
Enquanto isso, os tubérculos e raízes são ricos em vitaminas do complexo B, vitamina A, B e C, fibras e fósforo.
A batata, inhame, cará, batata doce, mandioquinha, beterraba, cenoura e mandioquinha, são os principais e mais acessíveis tubérculos e raízes.
Por fim, as verduras e legumes verde-escuros são ricos em vitaminas A, vitamina B2, vitamina B5, vitamina C, minerais como cálcio, ferro, magnésio, e potássio.
Os legumes mais conhecidos e que complementam uma alimentação saudável são as abóboras, brócolis, vagem, quiabo, fava, lentilhas.

Dieta vegetariana

As verduras mais consumidas e indicadas são: alface, agrião, rúcula, escarola, espinafre, couve manteiga, repolho e chicória.
Para montar um prato equilibrado e que supra todas as necessidades do corpo, mas sem exageros, é fundamental que a dieta vegetariana contenha cerca de ¼ de leguminosas, ¼ de cereais, tubérculos e raízes, além de ½ de legumes e verduras.
Respeitando perfeitamente a quantidade certa de alimentos vegetarianos será possível manter a boa forma e seguir uma ideologia de vida incrível, sem exploração animal para adquirir saúde e bem estar.
Veja também como a água de berinjela estimula o emagrecimento e pode ajudar na saúde do corpo.

Dieta vegetariana: como cuidar da saúde sem explorar a proteína animal
4.8 (95%) 4 votes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *