Tayla Pinotti

Por que ter empatia no trabalho gera uma corrente do bem e desestimula a competição

Empatia no trabalho

A palavra empatia vem sendo muito usada nos mais diversos âmbitos da vida: nas convivências sociais, nas familiares, nos relacionamentos afetivos e até no trabalho.

Quando falamos sobre praticar a empatia, estamos dizendo que as pessoas devem se colocar no lugar uma das outras, mas, afinal, como esse conceito é colocado em prática no trabalho?

Característico por ser competitivo, o ambiente corporativo ainda é cercado de pessoas inseguras que enxergam colegas de trabalho como adversários e que acreditam que a hierarquia serve para categorizar funcionários como “melhores” ou “inferiores”.

Justamente por isso, praticar a empatia no trabalho pode ser um grande desafio. Porém, quando vencido, traz grandes benefícios, tanto para as pessoas, quanto para a corporação. Confira abaixo quais são eles e como ser empático na sua empresa.

Empatia no trabalho não deve acontecer apenas de chefe para funcionário

Ao falar sobre o assunto, é normal que imaginar que a empatia deve acontecer apenas por parte de pessoas em cargos de chefia, mas o ideal é que ela seja colocada em prática entre todos os membros de uma equipe.

Recentemente, uma imagem que dizia que “ajudar um colega da mesma profissão não gera concorrência, mas sim admiração” viralizou e não é à toa.

Cada vez mais tem sido importante desfazer a ideia de que a competição no trabalho é algo positivo. Não coincidentemente, isso pode ser feito por meio da empatia e do altruísmo – conceito que prega a ausência do egoísmo.

Isso significa que membros da mesma equipe, ou pessoas que tenham alguma interface no trabalho, devem estar sempre se ajudando, seja para tirar dúvidas, seja para acrescentar novas informações ou apenas para ouvir enquanto o outro estiver falando.

Como praticar a empatia no trabalho

Ser empático significa saber ouvir, mostrar interesse e compreender os problemas, as dificuldades e emoções de alguém. A empatia é a capacidade de entender sentimentos, procurando experimentar de forma racional o que sente a outra pessoa. No trabalho, você pode ser empático(a) tomando as seguintes atitudes:

– Praticando a escuta ativa

O primeiro passo para ser empático(a) é tirar o foco apenas dos seus próprios problemas enquanto outra pessoa fala. Sempre que um colega estiver falando, mantenha contato visual, demonstre interesse fazendo perguntas e mantendo uma linguagem corporal positiva. Além disso, também é importante guardar qualquer tipo de julgamento, principalmente se for algo ofensivo.

– Ajudando sempre que possível

Seu colega de trabalho está com alguma dúvida? Que tal ajudá-lo, mesmo que você não receba nada em troca? Compartilhar conhecimento é sempre válido e é importante lembrar que ninguém nasce sabendo e que, para você aprender aquilo, muito provavelmente alguém também teve que te ensinar.

– Respeitando os colegas e evitando intrigas

Intrigas e panelinhas são comuns no ambiente corporativo. Para evitar confusão, a melhor opção é se manter neutro(a) diante de brigas ou intrigas. Ser cordial e respeitar à todos é sempre o melhor a se fazer.

– Conhecendo a história das pessoas

Apesar do convívio diário, muitas pessoas não conhecem as histórias dos seus colegas de trabalho, o que é uma pena, já que isso pode colaborar e muito para uma relação mais próxima e empática. A dica, então, é conversar com as pessoas da sua equipe para passar a olhar para cada pessoa de uma forma diferente e mais amigável.

– Sendo compreensivo(a)

Todos os membros da empresa onde você trabalha são importantes e todos eles têm suas angústias e cobranças no ambiente profissional. Para ser empático, é importante ser compreensivo(a) com os colabores da empresa onde você trabalha, tanto com as questões profissionais, quanto com as pessoais. Se você está em cargo de chefia, estipule sempre metas tangíveis e não se esqueça que está lidando com humanos e não com máquinas.

– Elogiando de forma espontânea

Muitas pessoas passam meses em uma mesma empresa desempenhando funções sem nunca receberem um elogio. Elogiar é importante pois demonstra que você valoriza o trabalho daquele colaborador e faz com que ele sinta que seu esforço está sendo reconhecido o que, consequentemente, pode deixá-lo mais motivado.

Quais os benefícios que a empatia no trabalho proporciona

– Humaniza as relações profissionais

Muitas pessoas acreditam que profissional e pessoal não devem se misturar, mas ser empático não significa que você precisa ser melhor amigo de todas as pessoas do seu trabalho. O importante é fazer com que as relações no trabalho sejam mais humanizadas e menos mecânicas.

– Retém talentos

A alta rotatividade tem sido cada vez mais comum nas empresas, principalmente entre pessoas mais jovens, que estão sempre buscando novos desafios e também ambientes onde se sintam confortáveis. Para evitar que algum talento seja desperdiçado, então, o ideal é sempre cultivar um clima leve baseado na empatia.

Leia também: Concentração: 10 dicas para aumentar a concentração

– Ajuda a identificar os pontos fracos e fortes de cada colaborador

O diálogo baseado na compreensão é a melhor maneira de perceber as necessidades de cada indivíduo, além de identificar pontos fracos e fortes, o que ajuda a explorar toda aptidão dos funcionários.

– Torna o ambiente de trabalho menos estressante e competitivo

Sem dúvidas, um dos principais benefícios de praticar a empatia no trabalho é ter como resultado um ambiente muito menos estressante e tenso para os colaboradores. Agindo empaticamente, a competição no trabalho também é desestimulada, já que o clima se torna de confiança e não de ameaça.

Leita também: Ambiente de trabalho: 7 dicas para melhorar o seu cantinho na empresa

Por que ter empatia no trabalho gera uma corrente do bem e desestimula a competição
4.8 (96.67%) 6 vote[s]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *