Luiza Olinda

Estrias: causas e tratamentos indicados

Estrias

No começo, você nem nota que elas estão chegando. Aparece uma linha aqui, uma outra ali e quando você se dá conta já tem uma porção delas nas suas coxas, braços, bumbum, seios e barriga.
As estrias são verdadeiros pesadelos das mulheres, porque deixam a pele marcada e com aparência flácida, muitas vezes acabando com a vontade de usar aquela roupa mais curta ou justa.
Vamos ver a seguir as principais causas do aparecimento de estrias e quais são os melhores tratamentos para eliminá-las.

O que são estrias e quais os tipos existentes

As estrias são linhas horizontais que aparecem na superfície da pele quando há um estiramento brusco do tecido. Conforme a pele é puxada, as fibras elásticas e de colágeno se rompem e geram pequenas lesões que não cicatrizam bem, são elas que chamamos de estrias.
Os dois tipos mais conhecidos de estrias são as vermelhas e as brancas, sendo que as estrias vermelhas normalmente são mais recentes, e as brancas mais antigas. Logo que há o rompimento da fibra a lesão fica vermelha ou arroxeada, mas depois de um tempo ela cicatriza, e fica com um aspecto esbranquiçado.
Algumas vezes as estrias, sobretudo as avermelhadas, geram coceira e podem inflamar.
Quanto mais recente for a estria, mais fácil é de tratá-la e eliminá-la. Por isso, há mais sucesso na eliminação de estrias vermelhas do que brancas, mas ambos os tipos podem ser tratados.

Principais causas do aparecimento de estrias

Já sabemos que as estrias aparecem quando a pele é repentinamente esticada e algumas fibras se rompem, mas o que causa esse estiramento?
Puberdade: a maioria dos casos de estrias está relacionada com o desenvolvimento do corpo durante a puberdade. Como as áreas que mais se desenvolvem nesse momento da vida são o bumbum, coxas e seios, é bem comum encontrar mulheres com estrias nesses locais.
Gravidez: muitas grávidas também apresentam estrias como resultado do crescimento rápido dos seios e da barriga durante a gestação.
Ganho de peso: quem ganha peso rapidamente em um curto espaço de tempo também corre o risco de ter estrias na pele.
Crescimento muscular acelerado: malhar frequentemente uma única região do corpo e usar esteroides para impulsionar o desenvolvimento muscular muito rápido também pode resultar no aparecimento de estrias.

Dá para prevenir as estrias? Sim!

É impossível impedir que nosso corpo mude durante a puberdade ou em uma gravidez, mas existem algumas formas de diminuir as chances das estrias aparecerem. Quanto mais nutrida e hidratada a pele estiver, maior é a possibilidade de ela aguentar esse estiramento sem que as fibras se rompam e as estrias apareçam.
E para ter uma pele hidratada e nutrida, você já sabe, basta ingerir pelo menos 1,5 litro de água por dia, ter uma alimentação balanceada, praticar exercícios físicos com frequência e usar cremes adequados para o seu tipo de pele.

Leia também: 20 semanas de gestação: Mudanças no corpo causadas pela gravidez

Se estiver em um momento em que sabe que seu corpo vai mudar repentinamente, como na gravidez, invista em cremes com silicone e colágeno, e com base de óleo de uva e amêndoas, que fortalecem o tecido.

Tratamento para estrias

Não existe um único tratamento para estrias, mas várias possibilidades dependendo do tipo e da gravidade da lesão.
Quando as estrias são recentes e pouco aparentes, esfoliar a pele e usar cremes específicos para tratamento pode suavizá-las ou mesmo eliminá-las por completo.
A esfoliação retira as células da parte mais superficial da pele, estimulando um crescimento mais uniforme, enquanto os cremes ajudam a manter a cútis firme e a regenerar o tecido danificado.
Quando as estrias são esbranquiçadas e já te acompanham há algum tempo, a melhor forma de conseguir bons resultados é recorrer a procedimentos estéticos.
Microagulhamento: é uma das opções mais conhecidas para quem quer se livrar das estrias. O procedimento consiste em esfregar um rolo com microagulhas sob a pele. Como as estrias são resultado de uma lesão má cicatrizada, a ideia é que, “machucando” a cútis novamente, a tendência é que as estrias cicatrizem corretamente desta vez.

Leia também: Dermaroller: conheça o poder dessa técnica contra estrias, marcas de expressão e cicatrizes

Carboxiterapia: outro tratamento que ajuda na eliminação dessas marcas, mas com a ajuda do dióxido de carbono. Injetando o elemento sob a pele, a circulação sanguínea aumenta, o que também favorece a regeneração da pele e a melhora na aparência das estrias.
Radiofrequência: além de eliminar a gordura localizada e diminuir flacidez, a radiofrequência também pode ajudar você a reduzir as estrias porque emite ondas que estimulam as fibras de colágeno. Outros tratamentos como o infravermelho e a luz pulsada agem sob o mesmo princípio.
Peeling de cobre: o peeling naturalmente esfolia a pele e estimula a produção de colágeno, mas é o cobre quem potencializa o efeito. Esse elemento reage com uma enzima responsável pela melanina. Como resultado, a estria volta a ter a mesma cor da pele, o que sublima bastante a sua aparência.

Leia também: Esfoliante caseiro: Dicas e receitas para diferentes tipos de pele

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *