Tayla Pinotti

Fim de relacionamento: como lidar com as lembranças e expectativas?

Existem muitas formas de passar por um fim de relacionamento. De forma harmoniosa, de forma conturbada, de forma trágica e até mesmo de forma amigável, por que não?

fim de relacionamento

Mas, independentemente de como um relacionamento termina, as partes envolvidas sempre acabam saindo um pouco machucadas. Afinal, é realmente difícil se desapegar completamente de toda rotina e de toda história que foi construída pelo casal.

Mas como superar o fim de um relacionamento?

É claro que não existe uma fórmula mágica para curar um coração partido. Além disso, cada pessoa tem uma maneira diferente de lidar com um término de relacionamento.

Mas algumas coisas simples podem te ajudar a lidar melhor com as lembranças e com as expectativas criadas pós-termino.

O primeiro conselho é enxergar o fim do relacionamento como uma experiência de amadurecimento. Pense que praticamente 100% da população mundial já passou por um término. E, por mais que seja muito difícil no começo, acredite: vai ficar tudo bem!

Outro conselho importante é: se dê ao direito de curtir a sua “fossa” e não fuja das suas próprias emoções. Por mais que a ansiedade de ficar bem logo e a vontade de dar a volta por cima falem mais alto, é fundamental ter um período em que você se permita “sofrer”. Se você não fizer isso cedo, em algum momento você vai acabar estourando e pode ser pior.

Se não foi você quem terminou, não fique se culpando ou pensando no que você pode ter feito de errado. Alimentar esse sentimento de culpa e arrependimento não vai te levar à lugar nenhum.

Procure realizar atividades que fazem você se sentir bem. É muito importante ocupar a cabeça depois do fim de um relacionamento e a melhor forma de fazer isso é realizando atividades agradáveis para você, sejam elas quais forem.

Esse exercício também vai fazer com que você comece a enxergar o quanto a sua própria companhia pode ser prazerosa! Tente fazer as atividades que você costumava fazer com o (a) seu/sua ex sozinho (a). Muitas pessoas têm o hábito de ir ao cinema, ao parque, à restaurantes e até viajar sozinhas e elas acreditam que fazer essas atividades sem uma companhia é uma ótima oportunidade para aprender a se valorizar mais.

Esteja bem acompanhada

É claro que a companhia e apoio da família e amigos também é fundamental nesse período, então, se você preferir, pode trocar as atividades desacompanhadas por festas e saídas com os seus amigos e familiares.

Mas é importante levar em conta como é o seu perfil pessoal, se você gosta de “baladas”, ou se é mais caseiro. Se você realmente gosta de badalação, é super válido começar a frequentar festas e bares, mas se você tem o estilo mais caseiro, não tem porque se forçar a começar a fazer isso.

Não fique alimentando expectativas de uma possível volta. É muito comum que as pessoas fiquem pensando como seria se tivessem uma segunda chance e que fiquem idealizando como seria uma nova tentativa. Mas, para isso acontecer de fato, as duas partes devem querer reatar. Se você acredita que ainda existe a possibilidade de fazer o relacionamento dar certo, vale a pena investir. Mas se o término foi muito conturbado e ambos saíram da relação exaustos, é melhor não ficar se iludindo com a possibilidade de uma volta.

Outro conselho é: se permita conhecer novas pessoas. Você não precisa se forçar a conhecer gente e nem a sair, caso você não queira, mas pode começar a interagir com pessoas que você não interagia antes. Além disso, conhecer gente não significa que você vai se relacionar com elas.

Como lidar com as lembranças após o fim de um relacionamento?

Por mais difícil que seja, o ideal é se afastar da pessoa, sim. Quanto mais você souber da vida do (a) seu/sua ex, mais difícil vai ser para você esquecer dele ou dela. Além disso, manter contato com ele (a) ou com a família dele (a) pode parecer uma boa ideia no início, mas essa proximidade só vai te impedir de se sentir totalmente à vontade para seguir em frente.

Sobre as lembranças materiais, você deve pensar sobre o que é melhor para você. Se acha que vai se sentir mal todas as vezes que olhar fotos, cartas e objetos que te remetam ao (à) seu/sua ex, é melhor se desfazer desses objetos.

Mas se o térmico foi tranquilo e se não há mágoas ou rancor e se você acha que pode conviver com esses objetos, não há razão para jogá-los fora.

É muito clichê falar isso, mas o tempo é o melhor remédio, de verdade! Mesmo que agora você esteja sofrendo, essa dor vai amenizar com o passar do tempo. É questão de dar tempo para você se acostumar com uma nova rotina.

Existem relacionamentos mais leves, que é o exemplo das paixonites. Então, veja como superar o crush. Siga em frente e lembre-se que existem muitas pessoas legais por aí e que não vale a pena ficar sofrendo pelo passado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *