Talitha Benjamin

Saiba quando o formol pode fazer mal para a sua saúde e a dos cabelos

Saiba como aplicar em seu cabelo o produto formol e aprenda como utilizar

O desejo de ter fios lisos costumava ser febre há alguns anos, e, por mais que o número de alisamentos com formol feitos pelos salões tenham diminuído graças à preferência pelos fios naturais, eles ainda são bem populares. O alisamento à base de formaldeído, apesar de prático e bastante efetivo na conquista do “liso perfeito”, pode também trazer inúmeros danos à saúde.

O formol é bastante conhecido pelas alisadas justamente por ser o único agente capaz manter os efeitos do alisamento por bastante tempo. No entanto, o formaldeído é proibido pela Anvisa em quantidade maiores de 0,2% de concentração, e nessa quantidade, ele não funciona como alisante. A proibição parte justamente por causa dos riscos que este químico oferece.

Afinal, o que é o Formol?

O formaldeído, comumente abreviado para formol, quando está em sua forma líquida, é componente químico feito a partir do metanol, um álcool muito tóxico para a saúde. Ele tem como objetivo impedir o crescimento de microrganismos em diversos produtos, por isso, o seu uso mais comum é como conservante.

Essa substância possui um odor muito forte – que faz com que muitas mulheres precisem cobrir seus rostos durante o alisamento -, é altamente inflamável e, quando misturada com outros produtos químicos, transforma-se em um perigoso poluente.

Quais são os riscos do formol para os cabelos?

Nos cabelos com química, o formol age como uma barreira de proteção, em uma espécie de lâmina, impedindo a entrada de qualquer agente externo. Os cabelos permanecem bonitos, mas sem receber nutrientes, hidratantes, umectantes e vitaminas, que são essenciais para a saúde dos fios.

Com o tempo, o formol pode causar graves danos à fibra capilar, além da perda da massa capilar, causando o afinamento dos fios e em alguns casos, a queda generalizada e a perda dos mesmos. Além disso, o formol ainda pode causar irritação, coceira, vermelhidão, inchaço e lesões graves ao couro cabeludo, comprometendo o crescimento natural do cabelo.

Como o formol age na saúde?

O formol não é prejudicial apenas para a saúde do cabelo: contínuas exposições e inalações ao agente químico podem causar uma série de reações alérgicas como irritação extrema nos olhos e também ao sistema respiratório, como tosse, dor de cabeça, ardência e coceira no nariz e garganta.

Problemas mais graves no sistema respiratório também podem surgir, tais como dificuldades para respirar, já que o formol afeta garganta, nariz, traquéia e brônquios. A Anvisa afirma que a exposição à grandes concentrações de formol pode ser fatal.

Há também o risco de câncer. A Agência Internacional de Pesquisa em Câncer considera o formol como um fator de risco que contribui para o surgimento de câncer e malformações no feto. Isso porque, quando entra em contato com células saudáveis, esse agente químico desencadeia mutações que podem ser extremamente perigosas.

Como se prevenir contra os riscos do Formol?

A Anvisa limita a quantidade do formol presente em alisantes e em outros produtos cosméticos e a sua presença em qualquer produto precisa ser regulamentada. No entanto, o órgão recebe inúmeras denúncias sobre fabricantes que descumprem a regra. Por isso, é de extrema importância que, na hora da compra, você procure pelo selo de aprovação da Anvisa.

É importante também que você siga com cautela as instruções de uso do fabricante, já que mesmo em quantidades limitadas e aprovadas, o formol, quando em contato com outros agentes químicos, pode causar reações alérgicas à pessoas mais sensíveis. Para se prevenir contra essas reações, procure produtos e profissionais confiáveis, e nunca abra mão do teste de mecha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *