Talitha Benjamin

Como lidar com a inveja e a comparação

Inveja e comparação

No mundo em que vivemos, a perfeição, as posses e o reconhecimento são coisas valiosíssimas, que direta ou indiretamente, todos nós desejamos. Esse desejo nos motiva a trabalhar, a fazer sacrifícios e a batalhar para realizar nossos sonhos. Mas é preciso se atentar para quando esse desejo se torna em uma obsessão e a busca pela perfeição, pela posse e pelo reconhecimento dá lugar para sentimentos negativos, como a inveja e a sensação de fracasso.

Ao analisar as próprias conquistas e realizações, muitas vezes o sentimento de insuficiência aparece e não é incomum acreditar que as coisas não estão acontecendo na velocidade que gostaríamos. É nesse momento que a autocobrança costuma pesar e os exemplos de pessoas que estão “se dando bem” começam a surgir na sua mente, enquanto você está estagnado.

Também é daí que começa a comparação com outras pessoas, um sentimento que pode ser muito prejudicial. Muitas vezes, essa comparação pode dar lugar à inveja, que é quando começamos a nutrir um ressentimento dessas pessoas que supostamente estão em situações melhores.

Como lidar com esses sentimentos

Em primeiro lugar, é preciso entender que a inveja é um sentimento comum, mas ela pode ir muito além do que desejar ter aquilo que o outro tem. A inveja se transforma em um sentimento tóxico e perigoso quando você passa a desejar ter a vida de alguém ou até mesmo se alegra no fracasso da pessoa que você julga ter aquilo que você quer. Na maioria das vezes, a inveja parte de um sentimento de injustiça, quando você sente que merece mais aquela conquista do que a outra pessoa.

Já no caso da comparação, o dano está justamente em desviar todo o seu foco para os próprios defeitos em detrimento do sucesso e das qualidades de outras pessoas. Essa comparação causa danos na sua autoestima, já que ela altera a sua perspectiva, fazendo que você se veja sempre de forma negativa e ignore as próprias qualidades e realizações.

O primeiro passo para superar a inveja e a comparação é reavaliar a forma como você vê a si mesmo. Como você se vê, o que você pensa sobre si mesmo? Lembre-se de ser gentil consigo, avalie suas ações, seus esforços e suas realizações com um olhar crítico, mas também gentil. Reconheça os seus defeitos e dificuldades, mas esforce-se para ter orgulho de suas qualidades e feitos positivos. Um exercício é fazer uma lista do que está dando certo e do que está dando errado. Dessa forma, você começa a agir para melhorar a sua autoestima.

Valorize o que você tem

O próximo passo para superar esse problema é identificar o comportamento comparativo. Mentalize o fato de que, quem quer que seja o objeto da sua comparação, essa é uma pessoa totalmente diferente de você. Estamos falando de alguém que não pode de forma nenhuma ser comparado com você, única e exclusivamente por não ser a mesma pessoa que você é.

O último passo é redirecionar todo o seu foco em você e no que você tem. Valorize todas as suas conquistas até aqui, e acima de tudo, valorize o esforço e trabalho que você realizou para alcançá-las. É importante que você dê valor para o seu trabalho e para o que você tem, assim, mesmo que você tenha admiração e respeito pela trajetória do outro, isso não se transformará em sentimentos negativos de inveja e comparação.

É importante entender que a chave de como lidar com a inveja e a comparação está em como você se sente em relação a si mesmo. Ame-se, aprecie o seu trabalho e sinta orgulho dele. Dessa forma, você não abre espaço para comparações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *