Raquel Fialho

Mãe de primeira viagem: gravidez e educação dos filhos

Quantas horas o bebê deve dormir por dia? Por quanto tempo devo amamentar? Quando posso sair com meu filho? Essas e muitas outras dúvidas surgem no dia a dia de uma mãe, principalmente de uma mãe de primeira viagem.
A gravidez é um momento único na vida da mulher, mas também é marcado por inseguranças, medos e dúvidas constantes.
Inexperientes, as futuras mamães e papais têm diversas perguntas relacionadas a vida do bebê, tanto antes como depois do parto. Mas, isso é normal, a fase de desconforto e medo passará e você logo se acostumará.
Após o nascimento da criança, é comum os pais ficarem com medo, afinal, uma nova fase se inicia, isso porque a rotina muda e o horário de dormir é alterado. Tudo para se adaptar ao ritmo do pequeno. Para essas adaptações é importante que os pais estejam antenados e confiem em seu instinto. Contar com a ajuda um do outro e de um pediatra para conseguir lidar com as diversas e diferentes situações é essencial!
Para se preparar para a maternidade e conseguir lidar com os questionamentos do dia a dia, confira as dicas para mãe de primeira viagem:

Quando ir ao pediatra?

A ida ao pediatra deve acontecer dentro de 7 a 10 dias. Afinal, pediatra é o profissional que irá verificar se a saúde do seu bebê está em dia, é ele quem irá acompanhar o peso e o desenvolvimento, assim como a vacinação e alimentação.

Qual a melhor posição para o bebê dormir?

O medo de todos os pais é sobre o bebê na hora de dormir. Profissionais aconselham que, na hora do sono, o bebê deva dormir de barriga para cima, dessa maneira, evitando a morte súbita e engasgo durante o sono. Porém, após amamentar, é preciso esperar o arroto para não ocorrer riscos durante a noite.

Atenção ao desconforto e choro do bebê

Quando o bebê chora, sempre há um motivo, nem que seja por estar sujo, com fome, desconfortável com as roupas, com os dentinhos nascendo ou com dores, como cólicas. Então, fique atenta aos sintomas e procure sempre o médico do bebê para conseguir identificar qual o problema.

A educação dos filhos

Educar não é fácil, e esse papel, tanto quanto todas tarefas de cuidados com o bebê, devem ser divididas igualmente entre o casal. Mas, a grande dúvida é: qual a melhor forma de educar? Devo impor limites?
A forma de educar os filhos deve ser avaliada entre mãe e pai. A criança vai querer tomar suas próprias decisões, mas é importante se manter firme e impor os limites. Afinal, muitas crianças choram, gritam e desafiam seus pais para conseguirem o que querem. Mas, com os ensinamentos elas aprendem o que é certo e o que não é.
Não há uma fórmula de como educar, ela só deve ser pensada e determinada de acordo com os valores e normas da sociedade, e também da família. Até a criança se acostumar, requer paciência e dedicação para que ela entenda, mas a melhor maneira é o diálogo.
Alguns erros comuns acontecem no dia a dia e, para a boa educação do filho, não pode ser algo bom. Por exemplo, a desautorização da mãe e a autorização do pai. Isso pode ser muito prejudicial. As ações tomadas exigem o diálogo dos dois, para decidirem o que é melhor para a criança. Além de confundir a cabeça do pequeno, também pode fazer com que ele desobedeça ambos ou perca o respeito por um deles.
Fora essa situação comum, existem muitas outras, tais como: contar mentiras, falar palavrões e “viciá-lo” com alimentos nada saudáveis. Eles vão fazer birra e chorar, mas com o tempo vão entender as regras.
Ensinar e deixar os filhos se divertirem, claro, com limites, é muito importante para o desenvolvimento deles. Então, desprenda-se, deixe a bagunça rolar! Incentive o desenho, as brincadeiras ao ar livre e a felicidade. Afinal, a infância passa rápido e nada melhor do que vivenciá-la intensamente, não é mesmo!? Então, aproveite essa fase junto com o seu filho, divirtam-se, se sujem e logo depois e só arrumar a casa e tomar aquele banho fresquinho que tudo fica bem.

Gravidez e educação parece uma confusão!

A gravidez é uma fase única. Uma fase de extrema alegria, cansaço, realização e desconforto. Mas, aproveite essa etapa. Tire muitas fotos e faça vídeos para depois relembrar todos os momentos. Depois do nascimento do bebê, faça a mesma coisa, registre todos as etapas, idades e bagunças, depois vocês – mãe, pai e filho(a) – vão rir juntos dessas lembranças.
Pais parecem que sempre estão no controle e que sempre sabem de tudo, mas não é assim, não. Se tiver dúvidas, procure alguém próximo que já passou pela mesma situação e peça algumas dicas. Mas, o essencial é confiar em si, confiar que está sendo uma boa mãe. Por isso, pense que mãe melhor que você não há! E seja!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *