Luiza Olinda

Mancha na pele: como diferenciar e tratar as manchas?

Mancha na pele

Existem manchas na pele que nascem conosco, outras que adquirimos ao longo da vida pela ação de fatores externos e até mesmo pela idade, mas tem aquelas manchas que podem denunciar doenças graves, como o câncer.
Mas então, como saber quando uma nova mancha é normal ou quando ela representa um perigo sério e precisa ser tratada? A melhor forma para isso é sempre consultar um médico, que é a única pessoa que pode fazer um diagnóstico exato do seu caso e te indicar o melhor tratamento para remoção da mancha.
Mas, vamos te dar a seguir algumas pistas para que você também consiga reconhecer os tipos de mancha na pele mais comuns, e os mais perigosos.

Mancha na pele: sardas

As sardas, também conhecidas como melanose solar, são manchinhas naturais com coloração um ou dois tons mais escuras do que a pele e que aparecem mais frequentemente nas pessoas ruivas. Elas normalmente ficam localizadas nas áreas em que a pele recebe mais sol, como nas maçãs do rosto e nos ombros.
O aparecimento delas está relacionado com a predisposição genética, o que significa que essa é uma característica que pode ser transmitida dos pais para os filhos. Apesar disso, as sardas tendem a se intensificar com a ação do sol. Por isso, é importante usar protetor solar com alto fator de proteção.
As sardas são um charme natural, mas se você quiser disfarçá-las pode optar por usar corretivos e bases de alta cobertura no seu dia a dia ou fazer procedimentos estéticos com luz pulsada, que também costumam suavizar as manchinhas.

Mancha na pele: melasma

O melasma é um dos tipos de mancha na pele mais comuns que existem e tem diversas causas, como o aumento de hormônios durante a gravidez, sol em excesso e uso de pílulas anticoncepcionais.
Normalmente as manchas são de um tom de marrom claro, tem bordas irregulares e aparecem com mais frequência no rosto (em especial na região da testa, buço e bochechas), colo e até mesmo nos braços.
A prevenção se dá com a aplicação de protetores solares e com a ingestão de alimentos ricos em vitamina A (como gema de ovos, cenoura, espinafre e fígado) e vitamina C (laranja, acerola, morango e kiwi), que ajudam a potencializar a proteção contra o sol. Mas, uma vez que você tenha sido diagnosticada com melasma, não existe cura.
Mas não se desespere. As manchas ainda na pele podem ser tratadas com sessões de peeling e cremes clareadores, para suavizar os efeitos.

Mancha na pele: manchas senis

A partir dos 40 ou 50 anos você pode perceber o aparecimento dessas manchas de tom amarronzados que costumam ser pequenas, mas aparecem em grande quantidade, principalmente nas mãos e nos braços.
Qualquer pessoa que esteja envelhecendo pode notar as manchas senis, mas aquelas que não cuidam e protegem a pele dos efeitos da luz solar intensa têm mais chances de apresentá-las.
Tratamentos a laser e com luz pulsada podem ajudar a sublimá-las quando estão em seu estágio inicial.

Mancha na pele: dermatite alérgica

Existem diversos tipos de dermatite, mas a mais comum é a dermatite de contato, ou dermatite alérgica. Os sintomas mais comuns envolvem o aparecimento súbito de manchas vermelhas na pele, manchas escuras com fundo avermelhado, coceira e até o surgimento de bolhas.
A dermatite alérgica acontece quando nosso corpo entra em contato com uma substância irritante e tem uma reação alérgica a ela. Isso pode acontecer quando usamos certos tipos de bijuterias ou produtos cosméticos, somos picados por insetos ou mesmo quando fazemos aquela caipirinha de limão e ficamos com resíduos na pele que entram em contato com a luz do sol.
Esse tipo de mancha na pele não costuma representar riscos à saudade, mas é interessante consultar um médico para que ele possa investigar que tipo de elemento está te dando alergia e alivie os sintomas com cremes e remédios anti-histamínicos.

Mancha na pele: pano branco

Também conhecido como micose de praia, o pano branco é gerado por um fungo que causa manchas esbranquiçadas na pele.
Esse fungo vive na superfície da nossa pele e não costuma causar danos, mas quando há fatores como desnutrição, sudorese abundante, calor, umidade e queda na imunidade ele consegue se proliferar e gerar pequenas manchinhas claras sob a pele.
O ideal é que você procure um dermatologista, que vai receitar remédios para ajudar a combater o fungo e descamar a pele.

Mancha na pele: melanoma

Esse é o tipo de mancha que não pode aparecer na sua pele, então muita atenção. O melanoma é um tipo de câncer que se desenvolve a partir das células que produzem a melanina (elemento que dá pigmento ao corpo).
Por conta disso, os melanomas são manchas bem escuras, com tom próximo do preto, costumam ter bordas mal delimitadas e as manchas não são simétricas. Os melanomas também podem evoluir com o tempo, então ter uma mancha na pele escura e que está crescendo pode ser um grande sinal de perigo. Na dúvida, não hesite e procure um médico assim que possível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *