Mulher no volante, perigo constante? Saiba como afastar esse mito e o medo de dirigir

Por: Luana Queiroz
Mulher no volante
Chegou a hora de exercer o seu empoderamento feminino no trânsito

Mulher no volante, perigo constante? Essa é uma daquelas expressões populares machistas que ainda são repetidas em diversos contextos, como em um acidente de trânsito ou quando uma mulher se torna habilitada para a direção.

Além de ser mais um claro exemplo de machismo, a expressão “mulher no volante, perigo constante” é errada duplamente, já que as estatísticas provam exatamente o contrário. Embora qualquer pessoa esteja sujeita a cometer erros na direção, são justamente os homens que se envolvem mais em acidentes.

Levantamento do Infosiga SP aponta que somente 6,3% dos casos de acidentes registrados no primeiro trimestre de 2020 envolveram mulheres na direção, um percentual 16 vezes menor do que o número de acidentes com homens ao volante – e as mulheres representam 40% dos motoristas de todo o estado.

Mulher no volante, preconceito constante

Embora seja muito difícil alguém admitir abertamente que é machista, a população já tem refletido sobre como as expressões machistas podem prejudicar quem é alvo delas. 

Uma pesquisa do Ibope mostrou que de cada 10 brasileiros, 7 admitem já ter feito alguma declaração discriminatória. Do grupo analisado, 73% admitiram ter falado frases como “mulher ao volante, perigo constante”, entre outros preconceitos velados. De todos os preconceitos, o machismo foi o mais praticado.

Mais do que uma expressão machista baseada em um estereótipo que tem a função exclusiva de inferiorizar as mulheres, invalidando a sua presença em mais um espaço, “mulher no volante, perigo constante” também propaga outro sentimento: o medo.

O medo de dirigir

Existem muitas mulheres que sonham em atingir a maioridade para poder tirar a habilitação, comprar seu próprio carro e sair dirigindo por aí. Só que, muitas vezes, mesmo com a carteira de motorista na mão, esse desejo acaba morrendo por um único motivo: o medo de dirigir.

Mesmo tendo concluído o curso com sucesso, muitas não conseguem ter segurança o suficiente para dirigir sozinhas. É só pensar em assumir o volante que as mãos ficam suadas, as pernas tremem, a boca seca e bate aquele desespero. O resultado é um carro parado na garagem e muita, mas muita frustração.

Mas isso não precisa ser assim. Se você está vivendo essa situação e quer exercer o seu empoderamento feminino no trânsito, veja como se tornar uma mulher no volante mais confiante e arrasar na direção.

Mulher no volante: entenda de onde vem o seu medo

Você deseja dirigir, certo? Concluiu o curso e conseguiu sua habilitação, não é? E tem um carro lindo te esperando na garagem, confere? Então a próxima pergunta que você precisa responder é: de onde vem esse medo?

Mesmo que você nunca tenha pensado nisso, deve haver algum motivo para a sua insegurança em assumir a direção. Se você já chegou a dirigir depois de habilitada, pense no que pode ter acontecido para você ter desistido de ser uma mulher no volante. Talvez tenha sido um acidente, um motorista mal-educado que encontrou pelo caminho ou alguma situação que te deixou tão aflita que a fez perder o gosto pela condução.

Caso tenha saído da autoescola e nunca tenha voltado a pegar em um volante, também é preciso entender o que faltou no ensino para que você se sentisse confiante em dirigir sozinha.

O medo de ser assaltada ou sequestrada, a famosa falta de prática e a impressão de que todos vão perceber que você é uma recém-habilitada são alguns dos medos mais comuns que impedem muitas mulheres de dirigirem. Entender qual é a causa desse medo que te paralisa é o primeiro passo para conseguir superá-lo.

Mulher no volante: saiba que tudo bem sentir um pouco de medo

Esse pavor que impede que você dirija, realmente, não é legal, mas isso não quer dizer que os outros motoristas também não tenham medo. Conduzir um veículo é algo que exige responsabilidade e muita atenção e muitos motoristas também sentem medo ou sentiam quando começaram a dirigir.

O grande truque que você deve aprender com eles é usar esse sentimento para te manter focada e atenta. Então, se mesmo ao voltar a dirigir você ainda sinta um pouquinho de medo, tudo bem! 

Mulher no volante: seja paciente consigo mesma e não desista

Dirigir, assim como qualquer outra atividade, exige prática para que você realmente dirija bem. O ideal, se você sofre com o medo da direção, é começar devagar.

Nos primeiros dias, vale a pena sentar ao volante e se imaginar dirigindo. Depois, passe alguns dias dentro do carro com o motor ligado. Sinta como é estar no seu carro, mas busque controlar o medo lembrando que você está segura.

Quando se sentir confortável nesse estágio, tente dirigir nas manhãs dos finais de semana (ou em outro horário em que tenham poucos carros na rua) e só pelo seu bairro.

Conforme você for ficando mais confiante em dirigir pelas ruas que conhece, vá indo cada vez mais longe e, quando você se der conta, vai conseguir fazer trajetos cada vez mais distantes com seu carro.

Vá progredindo no seu ritmo e tenha paciência consigo mesma, só não pode desistir, combinado?

Mulher no volante: evite “aquele” tipo de instrutor

Todo recém-habilitado sempre tem aquele instrutor que promete que vai ajudar, mas, na prática, acaba atrapalhando. Ele grita, chama a sua atenção o tempo todo e acaba te deixando mais irritada e assustada do que qualquer outra coisa.

Se você já é insegura sobre dirigir, o ideal é evitar esse instrutor, que pode ser seu pai, seu irmão, sua sogra ou até seu namorado. Essa pessoa impaciente e acelerada só vai te deixar com mais medo de dirigir sozinha. Espere estar bem confiante para levar esse instrutor “estressadinho” para passear.

Mulher no volante: procure ajuda especializada

Hoje, felizmente, existem várias autoescolas especializadas em treinar pessoas que já têm a carteira de habilitação, mas que, por qualquer que seja o motivo, não conseguem dirigir. Geralmente, existe até um acompanhamento psicológico para ajudar a entender e resolver os receios que impedem a mulher de dirigir bem.

Se você sente que o medo de dirigir é sufocante, não hesite em procurar ajuda desses especialistas, com certeza eles vão contribuir para superá-los!

Leia também