Talitha Benjamin

Negras de cabelo liso: sou “menos negra” por alisar o cabelo?

Negras de cabelo liso

O cabelo crespo é uma característica forte da beleza negra – apesar da miscigenação no Brasil não deixar isso ser regra. Nos últimos anos, o número de mulheres negras que assumiram seus cabelos naturais aumentou muito, graças à uma tendência de mercado que abraçou esse tipo de fio, mas as negras de cabelo liso ainda existem – e acredite, podem sofrer muito preconceito por isso.

É fato que, por muitos anos, quem não tinha madeixas lisas era quem costumava sofrer. Isso porque os fios crespos e cacheados não faziam parte do padrão de beleza e, por essa razão, a pressão para alisar o cabelo era grande. Hoje em dia, as discussões sobre racismo ampliaram a aceitação das madeixas naturais, mas mesmo assim, há mulheres negras que, por qualquer que seja a razão, preferem continuar alisando os fios – e tá tudo bem!

Alisar o cabelo é abrir mão do empoderamento negro?

O racismo e o machismo se manifestam de diversas formas na sociedade, e uma delas é através da imposição de uma beleza eurocêntrica – branca, loira, de traços finos e cabelos lisos – para a mulher negra, que naturalmente não atende à esses padrões. Dessa forma, deixar os cabelos crespos e cacheados crescerem livremente simboliza um ato de resistência para mulheres que, por muitos anos, sofreram danos graves à sua autoestima.

O racismo e o machismo se manifestam de diversas formas na sociedade, e uma delas é através da imposição de uma beleza eurocêntrica – branca, loira, de traços finos e cabelos lisos – para a mulher negra, que naturalmente não atende à esses padrões. Dessa forma, deixar os cabelos crespos e cacheados crescerem livremente simboliza um ato de resistência para mulheres que, por muitos anos, sofreram danos graves à sua autoestima.

Empoderar-se significa tomar consciência de si mesmo enquanto sujeito social e político. No caso do cabelo, é desconstruir ideais de beleza moldadas por muitos séculos de discriminação pela estética negra. É entender que o cabelo crespo, assim como os outros traços negros, são historicamente hostilizados.

O jeito de usar o cabelo, independente de qual for, não apaga a resistência diária da mulher negra, sobrevivente de uma sociedade onde o racismo se encontra em todas as esferas sociais. O empoderamento transcende a estética, apesar desta ser extremamente importante para a manutenção da autoestima do povo preto.

Empoderar-se é ter consciência de que apenas unindo-se contra o racismo estrutural é que se pode combatê-lo e de todas as imposições estéticas que se baseiam nele. As negras de cabelo liso, apesar de se adaptarem ao padrão capilar imposto, ainda continuam sendo mulheres negras, e isso não se muda com nenhum método de alisamento.

Como alisar de forma segura 

Alisar o cabelo sendo negra não é nenhum crime – longe disso -, mas vale lembrar que os procedimentos alisantes podem danificar os fios, tanto a curto, quanto a longo prazo. Por isso, se você tem o cabelo naturalmente com curvatura e quer alisá-lo, o ideal é optar por métodos mais seguros e menos agressivos.

A guanidina, por exemplo, é um produto de transformação que hidrata os fios enquanto alisa ou relaxa os cabelos, sendo que o retoque de raiz é indicado a cada três meses. Geralmente ela está disponível em três versões: suave (para cabelos finos e delicados), regular (para cabelos de média espessura) e super (para cabelos grossos e resistentes).

Outra opção é a defrisagem gradativa, um sistema térmico de tratamento que reduz o frizz e o volume do cabelo e também promove um efeito liso progressivo. Indicada para todos os tipos de fio, a defrisagem gradativa é livre de formol e conta com ativos que selam a cutícula, além de dar movimento e brilho às madeixas.

Uma alternativa um pouco mais leve é a selagem redutora, considerada um sistema térmico disciplinante que dá força e vitalidade aos fios. Ela não oferece um efeito ultra alisante, mas disciplina os fios de forma progressiva – o resultado é intensificado a cada aplicação. Depois de aplicar a selagem no cabelo, é preciso utilizar secador e prancha alisadora para ativar o efeito da técnica.

Cuidados essenciais que as negras com cabelo liso precisam adotar

Para qualquer tipo de alisamento, o primeiro cuidado deve ser a reposição dos nutrientes que a fibra capilar perde logo após o procedimento. O mais indicado é investir em um cronograma capilar completo, com hidratação, nutrição e reconstrução. Além disso, é fundamental usar uma linha direcionada para cabelos progressivados na higienização. 

Aplicar um bom termoativado para proteger o cabelo do excesso de calor também deve estar na rotina capilar de quem alisa os fios, já que o uso do secador e da prancha são frequentes. E agora que você já sabe tudo sobre o universo das negras de cabelo liso, aproveite e confira também 4 dicas para fazer a escova progressiva durar mais tempo no cabelo!

Visuais do cabelo afro alisado

3 comentários neste post

  1. Ariana disse:

    Não vai ser a forma de usar o cabelo que nos fara ser ou não negras ,pois o importante é está feliz ao set vê no espelho . Hoje eu deixei meu cachos flori mais ah muito tempo usei ele liso e mim achava uma gata! porém gosto de mudar de visual gosto de coisas diferentes e não vai ser o cabelo que vai mim fazer ser ou não negra pois meus traços falam muito da minha origem (lisa ou crespa sempre serei negra)

    1. Caio Costa disse:

      Ari, você arrasa de todos os jeitos e com todos os cabelos!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *