Talitha Benjamin

Por que o brincar na educação infantil é tão importante

É fato de que, em todas as idades, adquirir conhecimento só é possível através de novas experiências. Para isso, existe uma atividade que se mostra fundamental para o desenvolvimento do criança, a brincadeira. Porém, é normal que alguns pais se encontrem na dúvida quanto a importância do brincar na educação infantil. O que é saudável? O que deve ser evitado?

Para entender melhor a brincadeira de criança e o seu papel no desenvolvimento, é preciso entender o que acontece durante esse tempo. Segundo a pedagoga e professora de educação infantil Elaine Maia, é na hora de brincar que a criança tem maior liberdade para exercitar a imaginação: “vai muito além da diversão. É o momento onde o pequeno terá a oportunidade de desenvolver sua autonomia, reflexão e criatividade”.

A brincadeira enquanto expressão de si

a importancia do brincar na infancia

Elaine ainda destaca que é através da brincadeira que a personalidade da criança irá se formar. Para os adultos pode até parecer bobo, mas é durante essa atividade que este pequeno ser em formação se comunica com si mesmo e com o mundo que o cerca.

“Na brincadeira, ela imita sons, vozes, ações, gestos e comportamentos que vê dos pais, da família, dos colegas, dos professores e da televisão”, observa a pedagoga, que também alerta para as influências externas com as quais a criança pode ter contato.

As três etapas fundamentais da brincadeira

a importância do brincar

As atividades, ou brincadeiras, têm hora certa e idade certa para acontecer. Dos 0 aos 2 anos, a criança exercita as funções motoras, descobre seu próprio corpo através dos seus sentidos e imita falas. Elaine explica que essa fase é sobre a exploração, por isso, é preciso ter cuidado com objetos pequenos e movimentos bruscos, por exemplo. “Estamos falando de um ser humano sem noção do próprio corpo, peso ou de sua fragilidade” lembra.

Dos 2 aos 7 anos, as imagens e símbolos passam a ter grande apelo para os pequenos. É aí que entram os brinquedos, os desenhos, as histórias e principalmente o “faz de conta”.

“Nessa fase, a criança já consegue reproduzir imagens mentais e já possui uma significativa capacidade de associação e imaginação”. Um exemplo é quando uma criança que usa uma caixa de papel velha como uma cama para a sua boneca.

É durante essa idade que a criança começa a ter contato direto com os papéis sociais. Ela já reconhece a função de sua mãe, seu pai, seu irmãos e de seu professor, por exemplo.

A partir dos 7, já existe um entendimento melhor sobre o que são as regras e porque elas devem ser seguidas. Sendo assim, durante essa idade, as brincadeiras em grupo são essenciais para o desenvolvimento humano, “tendo contato com outras pessoas, e acima de tudo, com a noção de que algumas coisas precisam ser resolvidas em conjunto” reforça a pedagoga.

O papel dos pais e da tecnologia na brincadeira

brincadeira de criança

Diante de tantas opções, é comum que os pais se sintam desorientados quanto a melhor opção para o momento de brincar de seus filhos, e muitos deles recorrem à alternativa mais fácil: smartphones e tablets.

No entanto, o uso de dispositivos tecnológicos ainda é discutido amplamente entre especialistas em educação e desenvolvimento infantil, sem consenso. Para Elaine, cabe aos pais decidir entre as variáveis sobre dar um celular para criança, que incluem o processo de aprendizado de sua cria (que é individual e diferente das outras crianças), o conteúdo consumido, a faixa etária, entre outros.

Porém, não há dúvidas de que o contato dos pequenos com as experiências ao vivo no mundo real não pode ser substituído de forma alguma. É responsabilidade dos pais garantir que seus filhos possuam todos os estímulos e incentivos necessários para o seu desenvolvimento – e isso inclui também impor alguns limites.

Para garantir que o brincar na educação infantil cumpra o seu papel na formação e desenvolvimento da criança, a pedagoga Elaine aconselha: “brinque com os filhos. Participe das histórias e atividades e também promova experiências novas para os pequenos. É de extrema importância que a criança tenha apoio e estímulo dos pais para isso, já que quando falamos do núcleo familiar, estamos falando do suporte emocional da criança, onde ela buscará apoio e incentivo para continuar se desenvolvendo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *