O “corpo de verão” existe? Aprenda a curtir a estação sem pressão

Corpo Verão

A estação mais quente do ano é um período de alegria: mais tempo no sol, férias, praia, piscina, mais viagens e mais passeios. As temperaturas sobem e, com elas, também aumenta a necessidade de usar e abusar das roupas mais leves, curtas, biquínis e maiôs. Por causa disso, nessa época do ano é que costumam surgir as pressões para atingir o tal do “corpo de verão”.

A pressão social para atender um padrão de corpo é grande entre as mulheres. Existe um preconceito enraizado na sociedade – que é bastante perpetuado pela indústrias da moda – de achar que apenas mulheres magras e com o “corpo bonito” podem usar biquínis, enquanto para as mulheres que não se encaixam nesse padrão, o uso de roupas de banho que escondem os aspectos “desagradáveis” é incentivado.

Durante o ano inteiro, é possível ver diversas dietas e treinos intensivos para emagrecer, perder barriga ou emagrecer a tempo de poder usar um biquíni sem medo dos julgamentos. Mas até onde essa imposição estética é saudável para as mulheres que, em sua grande maioria, não se encaixam nessa fantasia?

O que é um corpo de verão?

A preocupação com a aparência costuma crescer durante o verão, principalmente para as mulheres que não se encaixam no padrão corporal imposto pela sociedade. Durante todo o ano, pipocam dietas malucas na internet, treinamentos físicos intensos, receitas detox, produtos que prometem o emagrecer rápido, e procedimentos que “secar” quilos a mais, estrias e celulites. Tudo para que a consumidora alcance o desejado “corpo de verão”.

No entanto, muitas vezes, esse desespero para alcançar esse padrão estético pode se tornar uma dor de cabeça. Muitas das técnicas do famoso “projeto verão” não oferecem cuidados reais com a saúde e toda essa cultura incentiva as mulheres a se tornarem cada vez mais insatisfeitas com suas características reais, já que o tal corpo de verão não é necessariamente um corpo saudável, e sim um corpo magro e padrão.

Magreza não é saúde

Perder barriga rápido

Para a maioria das mulheres – desde pequenas – a magreza é sinônimo de beleza, saúde, felicidade, aceitação social e até mesmo felicidade nos relacionamentos pessoais. Para atingir esse padrão, elas não medem esforços, investindo pesado nessas soluções para atingir o corpo ideal, e, na maioria das vezes, sem se preocupar com a qualidade de vida ou com os riscos à saúde.

Praticar exercícios físicos e ter uma alimentação balanceada e rica de nutrientes e vitaminas são duas ações essenciais para garantir um corpo mais saudável, mas isso não significa que esse corpo vai ser o mesmo que você verá nas revistas de moda. Isso porque a magreza não é sinônimo de comer bem e estar em dia com a saúde do corpo, assim como ser gorda não significa estar doente.

A pressão social para ser magra causa grandes problemas para as mulheres, como baixa na autoestima, depressão, ansiedade e até mesmo distúrbios alimentares e visões distorcidas sobre o próprio corpo.

A autoaceitação como resposta

Dieta maluca para emagrecer rápido

Por causa dessa imposição estética, é difícil para a maioria das mulheres se sentirem confortáveis usando biquínis, maiôs ou roupas mais curtas, como saias ou blusas que mostram a barriga, por exemplo. O movimento body positive, que vem crescendo a cada ano, é um dos que mais lutam contra a ditadura do “corpo de verão”. A cada estação, mais e mais mulheres passam a aceitar o seu corpo natural e a se sentirem mais confortáveis, bonitas e sensuais em suas formas físicas.

Aceitar o seu corpo e sentir-se bem nele pode parecer impossível, mas acredite, é possível, sim! É importante lembrar-se que corpos são únicos, e que todos nós possuímos inseguranças sobre eles, seja ele um pequeno incômodo ou um trauma profundo, mas isso, de forma alguma, deve te impedir de usar um biquíni, maiô ou de curtir a estação mais divertida do ano.

Um corpo de verão é um corpo saudável, feliz e que não impede que imposições sociais sem sentido impeçam a sua diversão!

Leia também