Talitha Benjamin

Mulheres precisam ter cintura fina? Entenda por que esse padrão pode fazer mal à saúde

Cintura fina

A beleza feminina sempre foi celebrada ao longo dos séculos, mas esse ideal muda de forma extrema conforme o tempo passa. A maioria desses padrões têm em comum o culto à cintura fina, que é considerado até hoje um dos símbolos mais notórios da feminilidade, já que é algo que distingue o corpo feminino do masculino.

O conjunto de características que se considera o “padrão” de uma mulher atraente nunca é o mesmo, e é raríssimo encontrar alguém que se encaixe naturalmente nele. Na era vitoriana, as mulheres europeias precisavam ter lábios pequenos para serem consideradas bonitas. Hoje em dia, os lábios grandes e volumosos são considerados os “ideais”, e as intervenções estéticas para atingir esse padrão são bem populares.

Há muitas décadas atrás, o desejo de ter uma cintura fina era tão grande que as mulheres chegavam ao extremo, utilizando corsets feitos de ferro para forçar medidas à menos nessa parte do corpo. O corset permaneceu como uma peça essencial do guarda-roupa feminino por muitas décadas e o desejo de se ter uma cinturinha fina era tão grande que muitas chegavam a se machucar, causando danos gravíssimos ao corpo para conquistar esse padrão.

Encaixar-se no padrão realmente importa?

A pressão para se atingir o “corpo ideal” é grande, especialmente para as mulheres. Não é coincidência que o Brasil, que é famoso por suas mulheres bonitas, também seja um dos países que mais realiza cirurgias plásticas no mundo. O padrão da cintura fina, por exemplo, que é algo desejado pela grande maioria das mulheres e que é fortemente associado ao apelo sexual da feminilidade faz com que muitas delas se sacrifiquem e se sintam mal e sem valor quando não conseguem.

O culto a cintura fina está fortemente associado ao culto ao corpo magro, o padrão de beleza que perdura há muitas décadas e que deu origem à gordofobia. Esse padrão é imposto de maneira exaustiva pela mídia e essa obsessão por atingir o corpo ideal acaba por destruir a autoestima da milhões de pessoas, incentivando diversos problemas como depressão, ansiedade e diversos distúrbios alimentares.

Justamente por isso, é preciso que a naturalização ao corpo natural seja incentivada ao máximo, pois nada supera o amor próprio e sentir-se bem consigo mesma. A cintura fina não é algo que todas as mulheres possuem, mas isso não significa que sejam menos mulheres, ou menos femininas. Também não significa que os procedimentos estéticos para alterar algum aspecto que você goste não possam ser opções viáveis, já que em alguns casos, a cirurgia plástica pode fazer muito bem para a autoestima. O importante, de qualquer forma, é sentir-se bem consigo mesma – e sem sacrifícios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *