Bianca

Padrão de beleza realmente importa?

Muitas pessoas têm a péssima mania de julgar os outros pelo famoso “se”. “Se ela fosse mais magra”, “se o cabelo dela fosse liso”, “se o olho fosse azul”, “se ela fosse branca”, e por aí vai. São muitos “se” e eles parecem não acabar. Tudo isso ocorre pelo padrão de beleza que é imposto pela mídia na sociedade em que as pessoas se sacrificam por um estereótipo de beleza ideal. O fato é que cada ser humano é de um jeito, tem um tipo de cabelo, corpo, rosto, unha e é lindo do jeito que é. Leia mais sobre o assunto.

padrão de beleza

Padrão de beleza e as cirurgias plásticas

Você sabia que o Brasil é um dos países que mais realiza cirurgia plástica no mundo? Isso mesmo, a lipoaspiração e a colocação de próteses mamárias estão entre os procedimentos mais procurados nas clínicas de estética do país. Muito disso se deve a um padrão de beleza que foca no modelo de “vida perfeita” e “corpo perfeito”. Em que para ser bonito e aceito pela sociedade é preciso ter essas características, e ainda ser feliz o tempo todo e bem sucedido.

O padrão de beleza nem sempre é igual

Entra ano, sai ano e o padrão de beleza “muda”. Sempre de acordo com a televisão ou internet (acompanhando as pessoas que estão mais em evidência), mas todos dentro da mesma ideia de corpo e estereótipo. Quem se lembra da febre na novela “Gabriela”, exibida em 1975? Ela consagrou na época Sônia Braga como símbolo de beleza brasileira. Em outro período, tivemos Xuxa no seu auge de carreira em que todas as mulheres queriam ser loiras. Mais recentemente, Bruna Marquezine, atriz global, foi considerada uma das mulheres mais bonitas do Brasil. Ela tem a pele morena clara, cabelos e olhos escuros, corpo esbelto e curvilíneo. Há pouquíssimo tempo ainda, começamos a ver mulheres negras e de cabelos cacheados/crespos a exibir propagandas de cosméticos e roupas, o que é um avanço e uma conquista importantíssima.   

E aí voltamos à pergunta do título: o padrão de beleza realmente importa? A resposta é não. Mesmo que a mídia ou a sociedade insista em uma aparência única ou aquela aparência em evidência/moda, temos que aprender a enxergar, divulgar e aceitar todos os tipos de beleza, independente de cor, textura de cabelo ou corpo. Ninguém deve se sentir mal por ser como é. Se valorize e se ame mais.

Quer ler um pouco mais sobre autoestima? Clique aqui e saiba sua importância!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *