Tayla Pinotti

Como a geração good vibes pode estar causando uma onda de positividade tóxica

Você certamente se deparou com a frase “good vibes only” – que significa “apenas boas vibrações” – por aí. Geralmente, ela está no Instagram, acompanhada de uma foto em uma bela paisagem ou de uma com alguém fazendo pose de yoga ou meditação.

Não faz muito tempo que a o movimento que prega vibe positiva começou a ganhar força, mas o número de pessoas que aderiram a ele já é grande e, por isso, pode-se afirmar que existe, atualmente, uma geração good vibes.

De repente, a maioria das pessoas resolveu agradecer por tudo, porque, teoricamente, essa é uma forma de não apenas evitar que sentimentos ruins se manifestem, mas de emanar coisas boas. Seu dia foi horrível? Agradeça. Você passou por uma situação delicada? Agradeça. Sua família está enfrentando problemas? Agradeça. “Tudo vai melhorar” eles dizem.

Como consequência dessa chuva de pensamentos positivos, as redes sociais passaram a ser um lugar perfeito, já que na internet todo mundo é feliz, as pessoas vivem viajando, ninguém passa raiva e os problemas não existem.

Apesar da atmosfera que pode parecer inspiradora, já que é formada por frases motivadoras e positivas, estar cercado de posts e de pessoas aparentemente satisfeitas o tempo todo pode acabar fazendo um mal danado para a sociedade.

Todas as “vibes” importam, até as bad vibes

O discurso que prega apenas boas vibrações, na verdade, está forçando as pessoas a acreditarem que é preciso estar alegre o tempo todo. Ele também condena pessoas que demonstram insatisfação e ainda faz você acreditar que “fulano tem a energia negativa” caso ele ouse reclamar de algo.

Nesse sentido, acontece a chamada positividade tóxica, pois a onda good vibes faz com que indivíduos acreditem que bloquear emoções consideradas negativas seja a melhor opção.

É claro que ficar triste, nervoso ou “bad vibes” não é mesmo legal, mas todas as vibes e todos os sentimentos importam, não apenas os bons. Isso porque tentar empurrar os maus sentimentos para debaixo do tapete não vai ter uma efeito positivo, ao contrário, vai fazer com que eles nunca passem.

Você também precisa, sim, lidar com as bad vibes, já que elas fazem parte da vida e do seu processo de autoconhecimento. Sentimentos ruins precisam ser digeridos – e às vezes isso leva tempo – mas você precisa se permitir a sentí-los para não criar um efeito “bola de neve” que pode te fazer explodir a qualquer momento.

Além disso, ser positivo nada tem a ver com ignorar problemas. Na verdade, o que importa mesmo é saber lidar com os altos e baixos da vida. Você pode ser positivo enxergando saídas melhores para problemas e entendendo situações adversas por meio de outras perspectivas.

A geração que prega boas energias está em um ambiente social privilegiado

Good vibes

Recentemente, um post que dizia que “é muito fácil ser good vibes quando você tem boas contas bancárias” viralizou na internet. Apesar de ser um meme, a frase também é uma crítica, já que a geração da positividade está em um ambiente social privilegiado.

Os good vibes, no geral, não estão nas favelas, periferias e em ambientes marginalizados, mas sim nas universidades mais caras, nas praias mais badaladas e nos bairros mais nobres.

Pessoas que realmente levam o estilo de vida good vibes costumam optar por viverem longe do caos das grandes cidades, por ingerirem apenas comidas naturais, por consumirem roupas fabricadas no conceito slow fashion, por darem preferência às bicicletas (que não poluem o meio ambiente), além de adotarem uma série de medidas que fazem a diferença para um mundo mais evoluído.

No entanto, é preciso lembrar que pessoas de baixa renda não conseguem manter esse estilo de vida, porque todas essas decisões custam caro. Uma pessoa que ganha um salário mínimo e mora em uma favela não consegue se dar ao luxo de comprar roupas artesanais ou de ir de bicicleta até o trabalho, por exemplo.

Além disso, as classes mais baixas não tem tempo e nem motivação para colocarem a gratidão em prática. Pense em uma pessoa acordando às 4h30 da manhã, enfrentando ônibus e trem lotado para garantir a comida dos filhos.

Você acha que, no fim do dia, ela vai ter tempo e dinheiro para fazer uma aula de yoga? Você acha que se ela pensar que são os pensamentos positivos que solucionam todos os problemas?

Provavelmente não. É por isso que a positividade pode acabar sendo algo tóxico, já que indivíduos menos afortunados jamais serão vistas como seres evoluídos – e, enquanto ser good vibes envolver dinheiro e conceitos pouco inclusivos, pouca pessoas também serão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *