Relacionamento abusivo: como reconhecer?

Não existem dados oficiais que comprovem o número real de mulheres que já viveram um relacionamento abusivo, mas basta você reunir algumas amigas e colegas para ver que grande parte delas já enfrentou (ou ainda enfrenta) uma relação assim.

Geralmente, essas relações são marcadas por brigas excessivas e ciúmes doentio, seguidas de pedidos de desculpas e juras de amor. É claro que é, sim, normal que hajam brigas em qualquer tipo relação, porém, quando isso vira rotina entre um casal, é porque, provavelmente, eles estão vivendo em um relacionamento tóxico.

Relacionamento abusivo: características

Sabe aquele casal que briga, chora, se separa, mas sempre acaba voltando? Então, devemos ficar atentos a isso, pois essa também é uma das características de um relacionamento abusivo.

Quem está de fora costuma perceber o abuso mais fácil, mas quando se está dentro da relação, reconhecer que está sendo abusado pode ser muito difícil. Isso porque esse abuso pode acontecer de várias formas e, o mais perigoso é que, muitas vezes, ele vem “disfarçado de amor”.

Por exemplo: seu parceiro pega seu celular escondido, olha suas redes sociais, briga com você e te chama de nomes horríveis. Depois vocês têm uma longa discussão, até que ele te pede desculpas e diz que não vai mais fazer isso, começa a dizer o quanto te ama e não pode viver sem você. Isso é um relacionamento abusivo disfarçado de amor.

Se seu parceiro também te impede de usar roupas que você gosta, porque diz que não quer que outros homens olhem para você na rua, mas quer fazer isso parecer um “ciúme fofo”, ele também está sendo, sim, abusivo.

Essas são algumas situações que podem parecer pequenas, mas elas representam só apenas alguns dos abusos diários que as mulheres enfrentam em seus relacionamentos. Existem casos mais graves, nos quais ocorre agressão física, mas os abusos psicológicos e emocionais também são bastante destrutivos.

Com base em alguns relatos de pessoas que já viveram um relacionamento abusivo, fizemos esse texto para te ajudar a reconhecer se você está passando por um.

“Sempre que nós íamos discutir a relação, a conversa virava uma troca de ataques ofensas”

Quando um casal começa a se atacar e trocar ofensas, é sinal de que estão vivendo em um relacionamento destrutivo. As pessoas começam a se intoxicar e, em vez de fazerem o outro se sentir bem, fazem exatamente o contrário. Nos relacionamentos abusivos e destrutivos, é muito comum que o parceiro deixe a parceira cada vez mais para baixo.

“Ele me agredia e depois pedia desculpa e me dava flores”

Esse comportamento é típico de um abusador. Ele agride, depois diz estar arrependido. Muitas mulheres enfrentam isso por anos em silêncio, pois têm vergonha de falar para outras pessoas.

“Ele não me batia, mas me empurrava e me segurava forte”

Quando você está dentro da relação, é difícil reconhecer, mas isso é, sim, agressão também.

“Eu não podia sair com amigos e amigas e, quando não estava com ele, precisava mandar fotos de onde estava”

Muitas vezes, pessoas controladoras e possessivas passaram por algum trauma que as deixaram assim. Porém, o parceiro atual não deve sofrer por coisas do passado. Além disso, não vale a pena se desgastar por alguém que não confia em você.

“Eu tinha que ter dedos para falar com ele. Sempre tinha medo da reação que ele poderia ter”

Quando a mulher chega no estágio de sentir medo do parceiro, é que a situação já está bastante problemática. Se você deixa de contar coisas ou está sempre escondendo os fatos da sua vida do seu parceiro por medo, você está sendo vítima de abuso.

“Ele me ofendia”

Alguns homens com ciúme doentio costumam xingar as parceiras por coisas pequenas que elas fazem. Neste relato, a moça conta que ela era xingada de termos baixos pelo namorado só porque ela ia para a academia malhar.

“Muitas vezes, eu não queria transar e ele me pressionava”

Essa é uma questão muito grave, afinal, sexo sem consentimento é estupro. Nenhuma mulher deveria ceder a este tipo de pressão, mas, infelizmente, muitas acabam cedendo por medo da reação do parceiro. Estupro dentro de um relacionamento existe, sim.

“Ele me fazia sentir culpada pelas atitudes violentas e possessivas dele e também me manipulava”

Pessoas abusivas geralmente são manipuladoras, fazem cena para que você acredite que o problema está em você, e não nela. A garota que enfrentou esse relacionamento destrutivo foi percebendo que não estava certo ela se sentir culpada pelas coisas que ele fazia.

“Eu me distanciei de todos os meus amigos e até da minha família por causa dele”

Isso acontece com quase todas as mulheres que passam por uma relação abusiva. O parceiro é tão possessivo que impede que ela tenha contato com outras pessoas, inclusive familiares.

“Ele me fez perder a minha personalidade”

Nesse relato, a garota conta que, depois de tanto mudar por causa do namorado, ela acabou perdendo a personalidade, porque tinha medo de ser quem ela era e sofrer reprovação.

Esses são apenas alguns relatos com exemplos de abusos enfrentados, mas existem diversas outras situações abusivas. Mas uma coisa, todas essas mulheres que passaram por esses relacionamentos têm em comum: elas descobriram que são fortes o suficiente para sair dessas relações destrutivas e que a vida é muito melhor sem alguém tóxico ao lado.

Se você se identificou com esses relatos, seja forte também. Não tenha vergonha de buscar ajuda da família e dos amigos e, em caso de agressão física, não tenha medo de fazer uma denuncia contra o agressor.

Mesmo que seja difícil, pois você ainda foca nos momentos bons que você e seu parceiro tiveram, tente entender que eles, infelizmente, não apagam os momentos ruins e de abuso do relacionamento.

Isso pode parecer óbvio, mas saiba que o relacionamento deve te fazer bem e não mal. E se está fazendo mais mal do que bem, você deve deixá-lo para trás.

Leia também