Talitha Benjamin

Entenda a importância da representatividade negra e do cabelo crespo

Qualquer pessoa negra com o cabelo crespo pode afirmar que estamos vivendo em uma época nunca antes vista onde a aceitação de diferentes curvaturas e texturas é muito maior do que há pouquíssimos anos atrás – quando ter um cabelo natural não liso era sinônimo de viver escravizada por alisamentos, e para os poucos que tinham coragem de assumir o crespo, sofrer muito preconceito. Isso mudou graças a representatividade, mas ainda há muito o que se avançar.

Apesar de ser a textura capilar mais comum entre os brasileiros, o cabelo crespo ainda é encarado como novidade. Isso se deve ao fato de que no Brasil, um país impregnado pelo racismo, qualquer característica física que se afasta do padrão de beleza europeu é mal visto, e o cabelo crespo, sendo o principal indicativo da descendência negra, se torna o alvo principal do racismo estético. Por muitos anos, alisar o cabelo foi a forma mais eficaz de se “embranquecer”, e consequentemente, ser mais aceito pela sociedade.

representatividade negra

Nos últimos anos, a intensificação dos debates sobre relações raciais no Brasil atingiram principalmente a cultura e o mercado da beleza e da estética. O cabelo crespo começou a ser incentivado e adotado por muitas pessoas, entre homens e mulheres, que passaram a reverter os processos de alisamento para assumir seus cabelos naturais, e assim, assumir sua negritude e se empoderar através da identidade negra.

Representatividade importa SIM!

preconceito cabelo crespo

Por muitas décadas, como consequência da cultura racista brasileira, os cabelos crespos nunca foram associados a beleza, muito pelo contrário: por eras, ter cabelo crespo era sinônimo de ser sujo e desleixado. Nas novelas – principal mídia consumida pelos brasileiros – os negros de cabelo crespo eram os empregados, os “favelados” ou os bandidos.

Para entender os efeitos negativos desta associação, é só parar para pensar: como vai se sentir uma criança negra que só vê brancos com cabelos lisos nas propagandas? Ou consumindo filmes, desenhos, programas de TV, histórias em quadrinhos onde todos os mocinhos e mocinhas são brancos de cabelo liso?

Preconceito

Representar as pessoas negras de forma responsável significa , acima de tudo, respeitar a diversidade brasileira, onde a maioria da população é negra de cabelo crespo. Retratar essas cabelos crespos como bonitos, estilosos e que merecedores da mesma dedicação com os cuidados do que os cabelos lisos é extremamente importante para abrir o caminho da aceitação e acabar com o preconceito.

Além disso, a representatividade também é responsável por fazer com que o público que se encaixa nessa descrição se sinta representado e consiga assumir o que é de verdade, sem a noção de que precisa passar por processos estéticos caros e que danificam o cabelo só para se encaixar um padrão inexistente e totalmente discrepante da realidade brasileira. Clique e confira histórias de aceitação do cabelo crespo que mostram que essa curvatura deve ser motivo de orgulho, sim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *