História de mulheres que optaram viver sem maquiagem

Por: Talitha Benjamin
Sem maquiagem

Sair na rua de cara lavada pode ser uma atitude automática para algumas pessoas, mas, para certas mulheres, abrir mão dessa produção é algo impensável. Com tantos produtos e técnicas disponíveis para disfarçar as imperfeições, a febre da maquiagem se tornou algo avassalador e essa arte, por mais incrível que seja, acaba por deixar muitas mulheres reféns dos produtos de beleza.

A verdade é que, apesar da maquiagem ser algo superdivertido e útil na hora na hora de mascarar alguns defeitinhos, ela pode prejudicar a saúde da pele se usada em excesso, podendo até mesmo contribuir para um sentimento negativo quanto à aparência do rosto sem ela.

Além disso, por causa do machismo, existe uma pressão muito grande para que as mulheres estejam sempre apresentáveis e com a aparência “montada”. Em resposta à essa pressão, porém, muitas mulheres passam a abdicar do uso diário da maquiagem, ou reservam o seu uso apenas para ocasiões muito especiais.

A revolução adquiriu grandes proporções e, há alguns anos, uma corrente nas redes sociais na qual mulheres postavam fotos sem maquiagem e desafiavam outras a fazerem o mesmo acabou viralizando. Na época, a campanha incitou diversos debates de como a maquiagem, por muitas vezes, se tornava uma “prisão” e não um hobby ou preferência, o que fazia com que muitas mulheres se sentissem na obrigação de estarem sempre maquiadas.

Abrindo mão do uso da maquiagem

Parar de usar maquiagem

Maria Eduarda, 20 anos.

A jovem Maria Eduarda Rodrigues Pinto, de 20 anos, conta que começou a sentir essa pressão na adolescência, tanto de familiares, quanto de outras meninas, que na época já se interessavam muito por maquiagem: “nunca me senti confortável usando produtos de beleza e me sentia muito desconfortável nas vezes que usava”.

Já Amanda de França Nyari, de 27 anos, sente que antigamente a pressão para estar sempre montada era bem maior do que hoje em dia: “quando era mais nova eu gostava bastante, comecei a usar maquiagem quando era bem pequena. Hoje quase não uso mais, mas antigamente não saia de casa sem delineador e blush”, relembra.

O uso excessivo de maquiagem também é algo que pode ser prejudicial à pele, principalmente para as sensíveis e que possuem algum tipo de alergia. Gabriela de Figueiredo Trevizan, de 25 anos, por mais que fosse alérgica, estava sempre a procura de procura de marcas de maquiagem que pudesse usar no dia a dia.

“Quando era mais nova, usava maquiagem para esconder espinhas e olheiras, rímel, lápis de olho, batom e vários outros produtos. Passava maquiagem pra ir pra escola, faculdade, trabalho, festas, até para uma ida ao supermercado”, conta ela, que hoje dia, reserva o uso dos produtos apenas para os fins de semana e festas.

A liberdade de sair sem make

Parei de usar maquiagem

Amanda de França Nyari, 27 anos.

Abrir mão do uso da maquiagem pode ser bem libertador. Isso porque, por mais que a pressão de usar a make para tudo seja grande, não ter que se preocupar em estar “perfeita” o tempo todo te deixa bem mais leve: “larguei a maquiagem no cotidiano principalmente pelas alergias, mas também por ser uma preocupação a menos, menos tempo gasto para me arrumar e por perceber que não muda absolutamente nada na minha vida”, diz Gabriela.

Maria Eduarda concorda e diz que, depois que você se adapta, passa a se preocupar bem menos com a pressão: “na adolescência, minha mãe e minhas tias sempre insistiam para que eu usasse algum produto para ficar mais bonita. Hoje em dia não tem mais comentários pois elas já se acostumaram com o fato de eu não gostar”, conta.

Sem make

Gabriela Trevizan, 25 anos.

As três mulheres, por mais que se sintam muito bem sem a maquiagem, admitem que existe uma espécie de expectativa da sociedade com o uso dos cosméticos: “sentimos a pressão de estarmos sempre perfeitas e bem apresentáveis para as pessoas. Tentamos corrigir qualquer ‘defeitinho’ que achamos para que quem nos olhe nos ache mais bonitas e atraentes”, explica Gabriela.

Amanda ainda acrescenta que “muitas pessoas ainda veem a mulher que não sai de maquiagem como desleixada, que não se cuida.” Apesar disso, todas concordam que a diminuição ou abdicação do uso dos produtos é a melhor alternativa para quem se sente pressionada a estar sempre montada. A dica aqui é diminuir aos poucos e ir se acostumando com a sensação, e assim, passar a encarar a maquiagem com mais leveza e como um hobby ou diversão, e não como obrigação.

Leia também