Talitha Benjamin

Qual a diferença entre os protetores solares físicos, químicos e biodegradáveis?

Tipos de protetor solar

Já sabemos que o protetor solar é a principal barreira de proteção contra os raios solares e que, atualmente, é possível encontrar este produto com diversos ativos – como, por exemplo, os que contém propriedades anti envelhecimento, os que aceleram o bronzeamento, em cápsulas e em diferentes formatos de aplicação. Ao escolher um produto, porém, é comum cometer o erro de nos atentarmos apenas para o Fator de Proteção Solar (FPS ) e não aos ingredientes químicos do produto.

No entanto, a composição é um importante detalhe, já que ela está diretamente envolvida na forma como os protetores criam a barreira contra os raios que danificam a pele. Os três principais tipos são os físicos, químicos e os biodegradáveis, e cada um deles possui diferenças importantes de se levar em consideração na hora de escolher a melhor proteção contra os raios solares:

Protetor solar físico

Protetor solar

O protetor solar físico foi o primeiro a ser comercializado. Esse produto é composto por minerais como dióxido de titânio e óxido de zinco, que não são absorvidos pela derme. Dessa forma, eles refletem os raios solares, prevenindo o efeito de fotoenvelhecimento causado por eles.

Leia também: Como proteger o cabelo dos raios UV

Por causa de sua fórmula que não se funde com o organismo, é ideal para uso de alérgicos e em peles sensíveis, podendo ser utilizado também por crianças, idosos e pessoas que passaram recentemente por peelings e lasers.

Protetor solar químico

Já os protetores químicos são compostos por moléculas que absorvem a radiação ultravioleta, transformando-as em energia inofensiva. Dessa forma, ele cria uma barreira química na camada cutânea que impede que a absorção da radiação.

Esse tipo de filtro costuma ser multifuncional, carregando propriedades que trazem outros benefícios como antioxidantes ou ativos que clareiam a pele. Precisa ser reaplicado com frequência, já que a barreira protetora criada por ele perde o efeito com certa rapidez.

Protetor solar biodegradável

A maioria dos protetores físicos ou químicos possuem substâncias que, apesar de potentes contra a radiação solar, podem carregar outros riscos para a derme. O parabeno, por exemplo, presente nestes produtos, já foi associado ao câncer por diversos pesquisadores. Outras substâncias também podem causar queimaduras, alergias e fotossensibilidade.

Além disso, os componentes dos filtros solares acabam em mares e rios, o que é altamente prejudicial para a saúde do ecossistema – tanto é que algumas praias paradisíacas proíbem o seu uso.

Leia também: Protetor solar para pele oleosa: quais as opções e como usar

O protetor solar biodegradável contém em sua maioria ingredientes naturais, antioxidantes e outros ativos químicos inofensivos. São produzidos especialmente para serem gentis com a pele e com a natureza também. Alguns produtos também são veganos (sem nenhum derivado de origem animal) ou cruelty-free (não são testados em animais).

Como escolher o melhor filtro para você?

Filtro solar

Entre os vários tipos de protetor solar, fica difícil escolher o melhor para a sua proteção. No entanto, é bom notar que não existe um produto perfeito, e sim o que mais se adequa ao seu tipo de pele.

Os protetores químicos, por exemplo, possuem um maior potencial de irritação, portanto, para peles mais sensíveis, o mais indicado são as fórmulas físicas ou biodegradáveis.

Leia também: Filtro solar: entenda qual o melhor fator para o seu tipo de pele

Há ainda outros fatores que precisam ser levados em consideração, como o potencial de hidratação, oleosidade, clareamento e anti-envelhecimento das fórmulas. O ideal é consultar-se com um profissional dermatologista para garantir uma proteção completa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *